Criminalidade cai em duas das rodovias mais violentas do Rio, diz PRF

No Arco Metropolitano, no trecho entre Itaguaí e Magé, foram registrados 290 casos de roubos de carga, de veículos e em coletivos neste ano, 44,4% abaixo do observado em 2019

decisao-da-justica-impede-atuacao-da-prf-fora-de-rodovias-federais
(Crédito: Agência Brasil)

Os índices de criminalidade no Arco Metropolitano (BR-493) e na Niterói-Manilha (BR-101), duas das rodovias federais com mais roubos no estado do Rio de Janeiro, tiveram queda em 2021. Os dados, do Instituto de Segurança Pública (ISP), foram divulgados hoje (29) pela Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Publicidade

No Arco Metropolitano, no trecho entre Itaguaí e Magé, foram registrados 290 casos de roubos de carga, de veículos e em coletivos neste ano, 44,4% abaixo do observado em 2019. Já na Niterói-Manilha, foram 360 registros de roubos de cargas e veículos, 25,3% abaixo de 2019.

Esses dados foram levantados, através de um balanço estatístico, porque, até então, essas duas rodovias seriam as consideradas mais perigosas do estado do Rio de Janeiro. Os dados foram extraídos do ISP e conseguiram comprovar que tivemos uma redução da criminalidade, principalmente envolvendo o roubo de cargas, o roubo de veículos e o roubo em coletivos”, disse o porta-voz da PRF no Rio, Marcos Aguiar.

A PRF associa as quedas dos indicadores às estratégias de combate à criminalidade nas rodovias federais fluminenses e a operações como a Égide, iniciada em 1º de outubro deste ano.

(Agência Brasil)

Publicidade