Recursos Públicos

Justiça determina que Paulo Maluf pague R$ 2,87 milhões de multa por improbidade

O processo se refere ao ano de 1996 quando Paulo Maluf foi prefeito de São Paulo e fez manobras irregulares nas contas da cidade para justificar gastos extras no orçamento.

Justiça determina que Paulo Maluf pague R$ 2,87 milhões de multa por improbidade
A defesa de Paulo Maluf pediu o perdão da pena em razão de doença grave, mas o pedido foi negado pelo STF (Crédito: Rovena Rosa/Agência Brasil)

Nesta segunda-feira (04), a Justiça de São Paulo determinou que o ex-prefeito Paulo Maluf pague uma multa de aproximadamente R$ 2,87 milhões por improbidade administrativa, que é a má administração de recursos públicos por desonestidade.

Publicidade

O processo se refere ao ano de 1996 quando Paulo Maluf foi prefeito de São Paulo e fez manobras irregulares nas contas da cidade para justificar gastos extras no orçamento. Maluf teria feito uma manobra contábil para declarar uma arrecadação de impostos maior do que a que de fato aconteceu.

O ex-prefeito Paulo Maluf foi condenado à prisão domiciliar humanitária em 2017 pela Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-parlamentar foi condenado a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro. Porém, em fevereiro de 2022, o ministro Edson Fachin concedeu liberdade condicional a Maluf, afirmando que ele cumpriu os requisitos necessários para a progressão de regime.

Segundo denúncia do Ministério Público Federal (MPF), o político teria movimentado mais de 172 milhões de reais em ações irregulares para a lavagem de dinheiro. Maluf supostamente usava contas bancárias em nomes de empresas offshores para lavar o dinheiro no exterior e depois reutilizava parte deste dinheiro para comprar ações de empresas de sua família, como a Eucatex.

Publicidade