Monark defende partido nazista no Brasil e Flow perde patrocinador após sua fala

Monark em entrevista com deputados Kim Kataguiri e Tabata Amaral, fez um comentário que defendeu a existência de um partido nazista no Brasil que fosse reconhecido por lei

Monark defende partido nazista no Brasil e Flow perde patrocinador após sua fala
o apresentador faz uma pergunta à deputada de como o nazismo coloca os judeus em risco (Créditos: Divulgação / Redes Sociais @monarkoficial)

Bruno Aiub, conhecido como Monark, apresentador de um dos maiores podcast do país “Flow”, durante uma entrevista com deputados federais Kim Kataguiri (Podemos) e Tabata Amaral (PSB), fez um comentário que defendeu a existência de um partido nazista no Brasil que fosse reconhecido por lei.

Publicidade

“A esquerda radical tem muito mais espaço que a direita radical, na minha opinião. As duas tinham que ter espaço, na minha opinião […] Eu acho que o nazista tinha que ter o partido nazista reconhecido pela lei”, disse Monark.

No Brasil, é considerado crime fabricar comercializar, distribuir ou veicular símbolos, emblemas e objetos que divulguem o nazismo, conforme o artigo 1ºde Lei 7.716/89. A pena de divulgar ou comercializar materiais com ideologia nazista, varia entre um a três anos de prisão e multa.

Tabata rebateu Monark, que afirmou que a população judaica é colocada em risco com o nazismo. “Liberdade de expressão termina onde a sua expressão coloca em risco coloca a vida do outro. O nazismo é contra a população judaica e isso coloca uma população inteira em risco”, disse a parlamentar. “As pessoas não têm o direito de ser idiotas?”, questionou o apresentador.

Logo em seguida, o apresentador faz uma pergunta à deputada de como o nazismo coloca os judeus em risco. “De que forma [isso acontece]? Quando [o nazismo] é uma minoria, não põe. Mas era [um risco] quando era uma maioria”, emendou, sem considerar Holocausto na 2ª Guerra Mundial, que pelo nazismo milhões de judeus foram mortos.

Publicidade

“A comunidade judaica até hoje tem que se preocupar com sua segurança porque recebe ameaça. O antissemitismo é uma coisa que tem ser combatida todos os dias”, respondeu Tabata. “Meu apoio ao povo judeu. É inconcebível em 2022 achar que o nazismo possa ter espaço. É uma ideologia genocida que assim como o comunismo, só trouxe destruição.”

Kim Kataguiri, deputado, se envolveu na discucssão. Para argumentar ele usa uma fala de um membro do PCO, que os partido com bandeiras ideológicas comunistas não poderiam existir devido as declarações que violam os direitos humanos.

“Quando o Rui Costa, do PCO, fala em fuzilar burguês, por exemplo, aquilo está contemplado pela liberdade de expressão. Pelo menos no entendimento de hoje”, disse. “E isso entra em contradição com violação de Direitos Humanos. Então, por essa definição, o partido comunista não deveria existir”, completou.

Publicidade

Uma nota foi divulgada pela Conib (Confederação Israelita do Brasil) condenando as falas do apresentador. “O nazismo prega a supremacia racial e o extermínio de grupos que considera “inferiores”. Sob a liderança de Hitler, o nazismo comandou uma máquina de extermínio no coração da Europa que matou 6 milhões de judeus inocentes e também homossexuais, ciganos e outras minorias”, disseram. “O discurso de ódio e a defesa do discurso de ódio trazem consequências terríveis para a humanidade, e o nazismo é sua maior evidência histórica”.

Repercussão

O apresentador Monark, fez um vídeo em seu Twitter, pedindo desculpas pela suas falas.

Publicidade

Antonio Curti, iria no “Flow Podcast” na sexta-feira (11), e disse em seu Twitter que depois do acontecimento do último programa não irá comparecer mais.