Presidente Interino

Pacheco diz que congelamento de preços não é o caminho e pede que empresas atuem com ‘função social’

Pacheco, reforçando a declaração do Presidente da República, disse que “ninguém pretende sacrificar os lucros”.

Pacheco diz que congelamento de preços não é o caminho e pede que empresas atuem com 'função social'
A alta da inflação castiga, principalmente, pessoas mais vulneráveis (Crédito: Pedro Gontijo/Senado Federal)

Nesta sexta-feira (10), o presidente da República em exercício, senador Rodrigo Pacheco (PSD), afirmou que o congelamento de preços não é uma saída para a crise inflacionária no Brasil. A afirmação foi dada em resposta a um pedido do presidente Jair Bolsonaro (PL) e do ministro da Economia, Paulo Guedes, a empresários donos de supermercados para que controlem o aumento dos preços.

Publicidade

Nesta semana, Bolsonaro pediu para que os empresários diminuíssem sua margem de lucro. Rodrigo Pacheco, reforçando a declaração do Presidente da República, disse que “ninguém pretende sacrificar os lucros”, porém pediu que, diante da alta inflação, as empresas busquem cumprir suas “funções sociais” e “fixem preços que sejam justos”.

“Temos uma sociedade de livre mercado e acho que o que o ministro Paulo Guedes reivindicou e suplicou foi realmente a responsabilidade social de todos os brasileiros, na sua atividade produtiva. Ninguém obviamente pretende sacrificar o lucro, nem acredito também em congelamento de preços, não é esse o caminho. Mas a consciência de todos de que temos também que buscar uma função social de todas as empresas, nesse momento, todo mundo ter responsabilidade e fixar preços que sejam justos. Que [empresários] contemplem lucro, mas que não sejam lucros abusivos, que haja competitividade”, disse Pacheco.

A declaração de Pacheco foi feita na Paraíba, onde acontecia o Conselho Nacional do Poder Legislativo Municipal das Capitais (Conalec).

O senador Rodrigo Pacheco assumiu interinamente a Presidência da República na noite da última quarta (8), quando Bolsonaro, Hamilton Mourão e Arthur Lira (PP) viajaram em compromisso oficial para a Cúpula das Américas nos EUA.

Publicidade

Publicidade