Novos juros do consignado do INSS entram em vigor hoje; veja taxas

Novos juros do consignado do INSS entram em vigor hoje; veja taxas
Calendário do INSS LIBERADO: Saiba a Data Exata do seu Pagamento! Créditos: reprodução internet

A partir desta quinta-feira (6), as novas taxas de juros para o crédito consignado oferecido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) entram em vigor. Essa atualização segue uma recente decisão do Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS), que aprovou a medida visando adaptar-se às mudanças na economia e específicamente na taxa básica de juros, a Selic.

Publicidade

Essa alteração representa uma diminuição nas taxas, transferindo de 1,68% para 1,66% ao mês no empréstimo pessoal e de 2,49% para 2,46% nos juros aplicados ao cartão de crédito consignado e o cartão de benefício. Esta medida implica que todos os bancos e instituições financeiras credenciados devem ajustar suas cobranças segundo os novos índices, não podendo exceder os valores estipulados.

O que muda com a nova taxação para os beneficiários?

Ao acessar o crédito, aposentados e pensionistas do INSS podem comprometer até 45% de sua renda mensal com este serviço, sendo 35% para empréstimos pessoais e 10% destinados ao uso do cartão de crédito e do cartão de benefício. Com as novas taxas estabelecidas, espera-se que a carga financeira sobre esses beneficiários seja minimizada, facilitando assim a gestão de seus recursos.

Como verificar as novas taxas de juros do consignado?

  1. Acesse o portal ou o aplicativo Meu INSS.
  2. Utilize a ferramenta de busca, representada por uma lupa, e digite “Taxas de Empréstimo Consignado”.
  3. A página que se abre seguinte exibe uma lista das instituições bancárias com as taxas de juros atualizadas.
  4. Para explorar uma lista mais extensa de bancos, continue navegando até o final da página e clique em “Ver mais”.
  5. Caso deseje buscar por uma instituição específica, você pode fazer isso no topo da página.

Discussões e votações sobre a nova taxa

Na reunião que culminou na aprovação das novas taxas pelo CNPS, as opiniões estavam divididas. Enquanto representantes de entidades como a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), a Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a Confederação Nacional dos Aposentados (Cobap) e a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) votavam contra a redução, a maioria decidiu pela sua implementação.

Esta decisão apoia-se na necessidade de ajustar as taxas de juros ao contexto econômico recente, principalmente considerando as reduções progressivas na taxa Selic. Com taxas de juros mais baixas, o crédito se torna potencialmente mais acessível e menos oneroso, o que é de particular importância para o público de aposentados e pensionistas do INSS que dependem desses recursos para um complemento em sua renda.

Publicidade

Siga a gente no Google Notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.