Chapecoense enfrenta dívidas cinco anos após tragédia

O alviverde catarinense deve cerca de R$ 120 milhões

chapecoense-enfrenta-dividas-cinco-anos-apos-tragedia
Crédito: Getty Images

A Chapecoense enfrenta dívidas cinco anos após a tragédia. Dia 28 de novembro de 2016, foi quando aconteceu a tragédia que matou 71 pessoas em uma queda de avião que levava a delegação da Chapecoense para Medellín, na Colômbia. O avião da LaMia, matrícula CP2933, havia decolado de Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, com destino a Medellín com a delegação do time, jornalistas e convidados.

Publicidade

O time acabava de sair de sua última partida e havia sido campeão. O estádio todo vibrava pelo Chapecoense, que seguia feliz para disputar a primeira partida da final da Copa Sul-Americana, contra o Atlético Nacional, na Colômbia. Com a notícia da tragédia o Brasil acordou em luto e o estádio catarinense em uma tristeza insuportável.

Mas, após cinco anos da tragédia o clube anda inseguro em relação econômica. Em 2017, ano recente do acontecimento, o Chapecoense recebeu, em função da tragédia, mais de R$ 28 milhões em incrementos de receitas vindas da CBF, de sócios-torcedores, doações, amistosos e outros fundos. Além disso, também receberam patrocínios regulares e do empréstimo solidário dos atletas por parte dos clubes.

De acordo com à CNN, nos cinco anos entre o acidente e hoje, a Chapecoense gastou cerca de R$ 36 milhões com despesas derivadas da tragédia. O ano de maiores gastos foi o de 2019, no qual R$ 21,2 milhões saíram do clube com esta finalidade, sobretudo para o pagamento de famílias.

Em 2020, com a Série B para disputar, o clube afirmou ter perdido controle da gestão e de ter triplicado as despesas trabalhistas, fazendo com que eles começassem 2021 mais sufocados financeiramente. Além disso, o clube ainda segue em negociações com as famílias das vítimas. Segundo a previsão do clube, são mais de R$ 22 milhões ainda a ser pagos, pelo menos até 2028.

Publicidade

O clube afirma destinar para essas famílias aproximadamente R$ 500 mil mensais, enquanto ainda tenta buscar acordo com nove delas. Em 2020, as famílias das vítimas aceitaram um acordo judicial, em que o valores das parcelas mensais no período seriam diminuídas e pagas mais pra frente.

Hoje, o alviverde catarinense deve cerca de R$ 120 milhões. No mês passado, a Chape votou e aprovou, a aproximação institucional com o modelo de clube-empresa. Além disso, a Chapecoense entende precisar ser indenizada pelas perdas no desastre. O clube mantém duas ações com essa intenção, uma no Brasil e outra na Colômbia.

Publicidade