EUA e aliados devem impor mais sanções à Rússia

As sanções impostas na Rússia podem contrair até 15% da economia do país

eua-e-aliados-devem-impor-mais-sancoes-a-russia
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (Crédito: Win McNamee/Getty Images)

Os Estados Unidos e seus aliados irão impor uma novas sanções relacionadas à Rússia na quarta-feira (6), afirmou uma fonte a Reuters. No nova pacote de sanções está a proibição de novos investimentos na Rússia e aumentar limitações a instituições financeiras e empresas estatais no país.

Publicidade

De acordo com a CNN, a fonte informou que as medidas que serão impostas irão “degradar instrumentos importantes do poder estatal russo, vão impor danos econômicos agudos e imediatos sobre a Rússia, e responsabilizar a cleptocracia russa que financia e apoia a guerra de Putin“.

As novas sanções serão junto com os países do G7 e com a União Europeia para demonstrar a determinação do Ocidente para impor custos sem precedentes à Rússia, informou a fonte. Segundo especialistas, as sanções impostas na Rússia podem contrair até 15% da economia do país, informou a CNN.

Conflito Rússia e Ucrânia

No dia 24 e fevereiro, o governo russo invadiu a Ucrânia e bombardeou regiões do país. Após várias ameaças, Vladimir Putin autorizou os ataques por terra, ar e mar. Um dos motivos desta invasão é a aproximação da Ucrânia com o Ocidente.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia entre para OTAN. Além disso, Putin quer aumentar o seu poder de influência na região. A Rússia e a Ucrânia já passaram por outros conflitos. Por mais que hoje, a Ucrânia seja independente, sua relação com a Rússia não é totalmente resolvida.

Publicidade

A presidente da União Europeia publicou em seu twitter. “Por fim, também estamos propondo mais listas de indivíduos. Estamos também a trabalhar em sanções adicionais, incluindo as importações de petróleo, e a reflectir sobre algumas das ideias dos Estados-Membros, como impostos ou canais de pagamento específicos, como uma conta de garantia. Hoje, mais de 40 países aplicam sanções como essas. Assumir uma posição clara é crucial para o mundo inteiro. Uma posição clara contra a guerra de escolha de Putin. Contra o massacre de civis. Contra a violação dos princípios fundamentais da ordem mundial. Glória à Ucrânia”

Publicidade