Heineken anuncia saída da Rússia por guerra com a Ucrânia

A empresa busca “uma transferência ordenada” dos seus negócios para um novo proprietário

heineken-anuncia-saida-da-russia-por-guerra-com-a-ucrania
Garrafa da cerveja Heineken (Créditos: Pixabay)

O grupo da cerveja Heineken anunciou a saída da Rússia nesta segunda-feira (28), devido à invasão da Ucrânia. A segunda maior produtora de cerveja do mundo já havia suspendido anteriormente a produção de sua marca na Rússia.

Publicidade

“Estamos muito chocados e tristes ao observar que a guerra na Ucrânia continua e está se intensificando”, disse um comunicado oficial da Heineken. “Após a revisão estratégica de nossas operações já anunciada, concluímos que a propriedade da Heineken nos negócios na Rússia não é mais sustentável ou duradoura no contexto atual”, completou.

De acordo com o portal G1, a empresa busca “uma transferência ordenada” dos seus negócios para um novo proprietário. Durante o período de transição, a empresa continuará operando em regime reduzido, para “garantir a continuidade da segurança e bem-estar de seus funcionários”.

“Em qualquer circunstância, vamos garantir os salários dos nossos 1.800 funcionários que continuarão a receber salários até o fim de 2022 e faremos o que possível para proteger seus empregos”, disse a Heineken. Diversas outras empresas ocidentais fecharam lojas na Rússia, em represália a guerra com a Ucrânia.

Entenda o conflito

Desde a quinta-feira, 24 de fevereiro, Vladimir Putin deu início ao conflito contra a Ucrânia ao bombardear regiões do país. A invasão contou com domínios por terra, mar e ar, após autorização do presidente russo.

Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia faça parte da OTAN, uma aliança criada pelos Estados Unidos. O presidente não deseja que uma base inimiga seja estabelecida próxima a seu território, uma vez que a Ucrânia faz fronteira com a Rússia. Esse foi um dos estopins para que Putin iniciasse os ataques.

Publicidade