Itália confisca mansões e iates de bilionários russos

O governo francês também fez uma operação parecida, na semana passada. A polícia apreendeu a lancha Amore Vero, de Igor Sechin, presidente-executivo da petrolífera russa Rosneft

italia-confisca-mansoes-e-iates-de-bilionarios-russos

O governo da Itália anunciou que confiscou 140 milhões de euros (R$ 774 milhões) em bens de bilionários russos como parte das sanções à Rússia pela guerra na Ucrânia. O Ministério da Economia informou por meio de nota que “as medidas estão sendo adotadas no território italiano” e envolvem “o congelamento de fundos, recursos econômicos, móveis e imóveis” pertencentes a indivíduos e entidades russas, segundo a agência Ansa. 

Publicidade

A polícia italiana apreendeu casas e iates de quatro milionários russos, disseram fontes neste sábado (5) à agência Reuters. Entre os itens confiscados estão a mansão do empresário bilionário Alisher Usmanov, na ilha mediterrânea da Sardenha, e uma mansão no Lago Como, de propriedade do apresentador de TV estatal Vladimir Soloviev.

Também foram apreendidos o iate “Lady M” do oligarca russo Alexei Mosdashov, presidente da Severstal, avaliado em 3 milhões de euros, e o iate “Lena”, que pertence a Gennady Timchenko, amigo do presidente russo, Vladimir Putin. A embarcação é avaliada em US$ 50 milhões.

Entenda a invasão da Rússia à Ucrânia

A Ucrânia foi invadida pela Rússia na quarta-feira (23). O exército russo avança pelas regiões da fronteira em direção às principais cidades ucranianas. Kiev e Kharkiv são os principais alvos das tropas russas. 

Publicidade

O exército russo também ganha terreno no litoral e já conquistou pelo menos uma cidade portuária. 

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. O presidente russo Vladimir Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização. 

O líder russo também argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.

Publicidade