CALOR EXTREMO

Mais de mil pessoas já morreram durante peregrinação a Meca

Um balanço feito pela AFP aponta que a maioria das vítimas participava de maneira irregular, o que ampliou a vulnerabilidade às altas temperaturas

Mais de mil pessoas já morreram durante peregrinação a Meca
Mais de mil pessoas já morreram durante peregrinação a Meca – Créditos: Canva

Mais de mil pessoas morreram durante a peregrinação anual a Meca, marcada por um calor extremo que chegou a 51,8ºC na Grande Mesquita. Um balanço feito pela AFP divulgado nesta quinta-feira (20) aponta que a maioria das vítimas participava de maneira irregular, o que ampliou sua vulnerabilidade às altas temperaturas.

Publicidade

Os números procedem de comunicados oficiais ou de diplomatas dos países afetados. Entre os peregrinos que faleceram, 658 eram egípcios, dos quais 630 estavam em situação irregular. No total, 1.081 peregrinos de quase 10 países morreram.

Qual foi a principal causa das mortes na peregrinação deste ano?

O hajj, realizado em uma época de calor sufocante, atraiu 1,8 milhão de peregrinos autorizados, mas muitos viajantes irregulares não tinham acesso a áreas com ar-condicionado. O calor foi a principal causa de morte.

Publicidade

Essas condições foram um desafio até mesmo para os organizadores e as autoridades de saúde que lutavam para atender a alta demanda de emergências médicas. Além dos egípcios, houve vítimas da Malásia, Paquistão, Índia, Jordânia, Indonésia, Irã, Senegal, Tunísia e Curdistão iraquiano. Várias pessoas estão desaparecidas, gerando buscas em hospitais locais.

Medidas de prevenção e seus impactos

O governo da Arábia Saudita, ciente da elevação das temperaturas cada vez mais precoces, prepara anualmente um número específico de vistos. Esses vistos são alocados por um sistema de cotas para regular o fluxo de peregrinos. No entanto, apesar dessas precauções, o número de peregrinos não registrados continua elevado, impactando diretamente a segurança e saúde dos indivíduos durante sua jornada espiritual.

  • Controle de Vistos: Apesar do sistema de cotas visa organizar e limitar o fluxo para a peregrinação, a necessidade de revisar e adaptar essas cotas torna-se cada vez mais evidente, dadas as mudanças climáticas globais.
  • Infraestrutura Médica: As equipes médicas em Meca foram fortalecidas, mas a demanda superou a oferta, resultado direto do número inesperado de peregrinos irregulares.
  • Educação e Conscientização: Campanhas contínuas para educar os fiéis sobre os riscos e as preparações necessárias são cruciais, particularmente para aqueles que planejam a viagem por meios não oficiais.

Publicidade
Siga a gente no Google Notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.