República Tcheca envia tanques de combate para Ucrânia

A República Tcheca já enviou quase 1 bilhão de coroas para ajuda militar na Ucrânia

republica-tcheca-envia-tanques-de-combate-para-ucrania
(Crédito: Host photo agency / RIA Novosti via Getty Images)

A República Tcheca enviou tanques T-72 e veículos de combate de infantaria BVP-1 para Ucrânia, segundo informou uma fonte a Reuters, nesta terça-feira (5). A emissora pública tcheca informou o carregamento dos tanque e veículos. Segundo a emissora, o envio foi em acordo com a OTAN.

Publicidade

A Emissora disse que a informação foi confirmada pelo chefe do Comitê de Assuntos Europeus da Câmara Baixa Tcheca, Ondrej Benesik. A fonte da Defesa theca, informou que os combates foram enviados, mas não deu mais detalhes por questões de seguranças.

A ministra da Defesa, Jana Cernochova, disse ao Parlamento que “a República Tcheca está ajudando a Ucrânia tanto quanto pode e continuará fornecendo equipamentos militares, leves e pesados”. Ainda em relação ao apoio à Ucrânia, uma porta-voz do Ministério da Defesa disse que a República Tcheca enviou ajuda militar no valor de quase 1 bilhão de coroas (US$ 45 milhões), desde o início da guerra.

Conflito Rússia e Ucrânia

No dia 24 e fevereiro, o governo russo invadiu a Ucrânia e bombardeou regiões do país. Após várias ameaças, Vladimir Putin autorizou os ataques por terra, ar e mar. Um dos motivos desta invasão é a aproximação da Ucrânia com o Ocidente.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia entre para OTAN. Além disso, Putin quer aumentar o seu poder de influência na região. A Rússia e a Ucrânia já passaram por outros conflitos. Por mais que hoje, a Ucrânia seja independente, sua relação com a Rússia não é totalmente resolvida.

Publicidade

“A curiosidade é humana e entendo quem quer saber o que fornecemos na UA. Desculpe, não posso dizer mais. A guerra está acontecendo lá e não facilitaremos nada para os assassinos Z! Acredite, estamos enviando material militar essencial para amigos ucranianos. E continuaremos a fazê-lo.”

Publicidade

*Este texto contém informações retiradas da CNN Brasil.