Tiroteio em NY foi um dia após anúncio de Biden de regular armas

O tiroteio na estação de metrô do Brooklyn, ocorreu após anúncios do presidente dos EUA para controlar “armas fantasmas”

tiroteio-em-ny-foi-um-dia-apos-anuncio-de-biden-de-regular-armas
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden (Crédito: Spencer Platt/Getty Images)

O tiroteio que aconteceu nesta terça-feira (12) no metrô do Brooklyn, em Nova York, foi um dia após o presidente Joe Biden, dos Estados Unidos anunciar um plano para regular as armas caseiras, mais conhecidas como “armas fantasmas”. O ataque foi na estação da Rua 36 e 4ª Avenida, no bairro Sunset Park e deixou pelo menos 16 pessoas feridas.

Publicidade

Nessa segunda-feira (12), foi o dia em que o presidente norte-americano anunciou as novas medidas para reforçar o controle das armas que podem ser montadas em casa. Durante o discurso, Biden afirmou que qualquer um consegue montar. “Esta é a arma. Não é difícil de montar. Uma furadeira em casa e não demora muito. Qualquer um pode encomendá-la pelo correio. Qualquer um”.

De acordo com o site Perfil da Argentina, o grupo de pesquisa Gun Violence Archive (GVA), 131 tiroteios em massa foram registrados nos Estados Unidos desde o início de 2022 até esta terça-feira, 12 de abril, incluindo o ocorrido em Nova York.

As “armas fantasmas”  não possuem número de identificação e são vendidas em um kit parcialmente montado. São armas que não precisam ter licença para serem transportadas e de exames psiquiátricos para autorização. O presidente Biden, afirmou que qualquer um que tiver acesso à Internet consegue adquiri-la.

“Há um ano, esta semana, eu disse que conteríamos a proliferação de armas fantasmas. O lobby das armas tentou amarrar os reguladores na papelada. Mas hoje, mantivemos nossa promessa e tornamos ilegal fabricar kits de armas fantasmas sem número de série ou vendê-los sem verificação de antecedentes.”

Publicidade

Publicidade