Fale conosco

O que vc está procurando?

Brasil

Quem são os principais pré-candidatos à presidência em 2022

Definição de candidatos vai de 20 de julho a 5 de agosto, porém Lula diz que dará a resposta de sua pré-candidatura somente em março de 2022

Quem são os principais pré-candidatos a presidência de 2022
Presidente Jair Bolsonaro segue em segundo lugar nas intenções de voto para as eleições de 2022 (Crédito: Foto Lula Marques/ Getty Images)

As eleições de outubro do próximo ano já começam a trazer os nomes dos pré-candidatos a presidência em 2022. Os movimentos políticos das últimas semanas sinalizam que nenhum outro tema deve tomar mais a atenção dos partidos. Os arranjos estão por todos os lados, e, a partir do perfil dos postulantes a candidatos, é possível prever que a campanha presidencial terá uma temperatura tão ou mais elevada que a de 2018.

Confira abaixo alguns dos principais pré-candidatos:

Cabo Daciolo (Brasil 35)

Militar de carreira, Daciolo (Brasil 35) foi candidato à presidência em 2018, ganhando destaque por sua participação que arrancava risos durante os debates televisivos entre os candidatos. Mesmo sem tempo para campanha publicitária de TV e rádio, ele terminou o pleito na sexta posição, com 1,3 milhão de votos (1,26%). Antes disso, ele também já foi deputado federal pelo Rio de Janeiro de 2015 a 2019.

O anúncio foi feito pelo pré-candidato em uma publicação no Twitter, no qual ele aparece em uma foto ao lado de Suêd Haidar Nogueira, presidente nacional do Brasil 35. Na legenda da imagem, o bordão ”Glória a Deus” pelo qual ficou conhecido.

João Dória (PSDB)

O governador de São Paulo, João Doria, será o candidato do PSDB nas eleições de 2022 para presidente do Brasil. A decisão foi tomada neste sábado, 27 de novembro.

Doria recebeu 53,99% dos votos, contra 44,66% de Leite e 1,35% do ex-prefeito de Manaus Arthur Virgílio, coadjuvante na disputa. Diferentemente do que ocorreu no domingo passado, o sistema contratado funcionou sem registro de problemas técnicos. Estavam aptos a votar 44.700 filiados ao PSDB, incluindo deputados federais e estaduais, senadores, governadores, prefeitos e vereadores.

Nas redes sociais João Doria fez um agradecimento oficial ao resultado de sua pré-candidatura, confira na íntegra

SERGIO MORO (Podemos)

O ex-ministro da Justiça Sergio Moro filiou-se ao Podemos e se postou como pré-candidato à Presidência da República para eleições 2022. O anúncio foi realizado durante a filiação do ex-juiz federal ao partido em um evento que reuniu cerca de 400 pessoas no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

Mas antes de uma pré candidatura, o ex-juíz enfrenterá alguns desafios, o primeiro deles é a posição dos Ministros do STF (Supremo Tribunal Federal), que defendem que juízes, depois de deixarem a toga, cumpram quarentena antes de se candidatarem a cargo público. Em julho de 2020, quando presidia o STF, o ministro Dias Toffoli defendeu que o Congresso Nacional aprovasse prazo de oito anos para que juízes e membros do Ministério Público pudessem se candidatar a cargos públicos.

Confira abaixo parte do discurso de filiação de Sergio Moro ao podemos

Simone Tebet (MDB)

Simone Tebet está em primeiro mandato no Senado. Foi presidente da Comissão de Constituição e Justiça e fez parte da CPI da Covid. É filha do ex-senador e ex-presidente do Congresso Nacional Ramez Tebet.

O comando do MDB nacional, por meio de seu presidente Baleia Rossi, confirmou na manhã desta segunda-feira (29), que a senadora sul-mato-grossense Simone Tebet, será anuciada oficialmente uma pré-candidata à presidência da República, no dia 8 de dezembro, semana que vem.

Ciro Gomes (PDT)

Ciro Gomes (PDT) é ex governador do Ceará, ex ministro do Estado, advogado, e foi candidato a presidência por três vezes nos anos de 1998, 2002 e 2018.

Ciro Gomes, apareceu em 4º lugar na pesquisa eleitoral Genial/Quest, divulgada em 10 de novembro, com 6% das intenções de voto, avalia que cerca de cinco nomes devem sair definitivamente como pré-candidatos até o fim de julho de 2022, quando é dado o prazo final para as definições dos nomes.

Ciro Gomes havia abandonado a candidatura na última semana, após parte da bancada do PDT votar a favor da PEC dos Precatórios na Câmara. Em votação em segundo turno, na terça, parte dos parlamentares voltou atrás e votaram contra a proposta. Porém o mesmo já voltou atrás, confira a declaração polêmica abaixo

Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

Presidente do Brasil de 2003 a 2010 e cotado como um dos nomes para a disputa à Presidência em 2022, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é líder nas pesquisas eleitorais e com chances de vencer a disputa de 2022 ainda no primeiro turno, Lula está em uma posição confortável. Porém Lula já deixou claro algumas vezes que ainda não decidiu se vai disputar a vaga ao Palácio do Planalto.

Lula tem conduzido uma agenda típica de candidato. Já fez viagens para o Nordeste, onde se reuniu com políticos, sindicatos e movimentos sociais e, nesta semana, passou os últimos seis dias em Brasília. Na capital federal, esteve com diplomatas africanos, governadores e vice-governadores dos nove Estados nordestinos, encontrou-se com lideranças do MDB e do PSD, deputados federais, senadores e ex-parlamentares de PT, PDT, PSB, PSOL, Solidariedade e PCdoB, além de participou de atividades com militantes de esquerda e com representantes de catadores de materiais recicláveis.

Lula declarou hoje nas suas redes sociais que ”não tem pressa para anunciar se será ou não candidato”, confira abaixo

Jair Bolsonaro (PL)

Jair Bolsonaro (PL) tentará a reeleição e está em 2º lugar nos levantamentos. Ele faz acenos a eleitores de direita e tenta mitigar o desgaste político do aumento dos preços dos combustíveis. O presidente Jair Bolsonaro se filiou ao PL nesta terça-feira (30), porém declarou: “Não estamos lançando ninguém a cargo algum”.

Apesar de liderar em segundo lugar as pesquisas de eleições presidenciais em 2022, a aprovação do presidente Jair Bolsonaro (PL) despencou e atingiu seu pior nível desde o início do mandato. As informações são de pesquisa do Atlas em parceria com o jornal Valor Econômico divulgada nesta segunda-feira (29).

O levantamento aponta que apenas 19% avaliam a gestão do governo federal positivamente, pior índice já registrado desde o início da série histórica, no primeiro mês de mandato de Bolsonaro, em janeiro de 2019.

Veja abaixo a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao PL

Mais em Perfil

Últimas Notícias