crime eleitoral

Em SP, prefeito de Bocaina é preso por boca de urna

Pena pode chegar a 1 ano de detenção e multa a R$ 15,9 mil.

mais-de-156-milhoes-de-brasileiros-vao-as-urnas-neste-domingo
(Créditos: Marcelo Camargo/ Agência Brasil)

O prefeito de Bocaina (SP), Marco Antônio Giro, foi preso hoje (2) no interior paulista por fazer boca de urna, informou o Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP). Segundo boletim do tribunal, divulgado por volta das 10h de hoje, ele será liberado após o registro do boletim de ocorrência.

Publicidade

A boca de urna, que é quando uma pessoa faz propaganda de um candidato no dia da eleição, é um crime eleitoral. Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem é pego fazendo boca de urna está sujeito à pena de detenção, que pode variar de seis meses a um ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade e multa no valor de até R$ 15,9 mil.

Até este momento, informou o TRE-SP, 45 urnas precisaram ser substituídas em todo o estado de São Paulo, sendo 25 delas na capital paulista. Esse valor de urnas substituídas em todo o estado corresponde a cerca de 0,03% do total de 115.510 urnas que estão em operação hoje no território paulista. Segundo o tribunal, todas estas 45 urnas foram substituídas por outras urnas eletrônicas.

A capital paulista concentra 26,8% do eleitorado paulista e possui o maior contingente entre os 5.570 municípios brasileiros, com 9.314.259 milhões de eleitores.

Matéria atualizada às 11h44 para corrigir a informação repassada pelo TRE-SP: o prefeito é da cidade de Bocaina e não de Hortolândia, como publicado anteriormente.

Publicidade