Cientistas descobrem gatilho de coágulos raros após vacina da AstraZeneca

Especialistas acreditam que isso acontece devido a uma reação em cadeia, que envolve o sistema imunológico

Cientistas descobrem gatilho de coágulos raros após vacina da AstraZeneca
A equipe mostrou de uma forma muito detalhada como essa proteína sanguínea é puxada por um componente chave da vacina (Créditos: Sirachai Arunrugstichai/Getty Images)

Equipe de cientistas em Cardiff e nos Estados Unidos apontam ter encontrado “gatilho” que faz levar coágulos de sangue raros após a aplicação da vacina contra a Covid-19 Oxford-AstraZeneca.

Publicidade

A equipe mostrou de uma forma muito detalhada como essa proteína sanguínea é puxada por um componente chave da vacina.

Os especialistas acreditam que isso acontece de início a uma reação em cadeia, que envolve o sistema imunológico, o que pode atingir coágulos perigosos.

A vacina salvou cerca de um milhão de vidas durante a pandemia do coronavírus.

A preocupação com os raros coágulos do sangue, ajustaram o jeito que a vacina está sendo usada no mundo inteiro, Reino Unido teve uma alternativa para menores de 40 anos.

Publicidade

Isso fez com o que se desse início a uma corrida dos cientistas para conseguir descobrir o que estava acontecendo e se poderia ser evitado. O governo financiou a equipe de Cardiff em emergência para buscar respostas concretas sobre o episódio.

Se juntaram ao projeto também os cientistas da AstraZeneca, após resultados anteriores da outra equipe serem divulgados.

O porta-voz da AstraZeneca disse que os coágulos podem ocorrer mais facilmente por alguma infecção causada pela Covid do que pela a vacina em si. A resposta do por que isso acontece ainda não foi definida.

Publicidade

“Embora a pesquisa não seja definitiva, ela oferece percepções interessantes e a AstraZeneca está explorando maneiras de aproveitar essas descobertas como parte de nossos esforços para remover esse efeito colateral extremamente raro”, acrescentou.

Segundo informações do G1, os pesquisadores que investigaram os raros coágulos disseram ter pistas.

O maior risco de coágulos foi visto somente com algumas tecnologias de vacinas

Publicidade

Pessoas com coágulos tinham anticorpos incomuns que atacavam uma proteína em seu sangue chamada fator plaquetário 4

A principal função das vacinas é entregar ao organismo um fragmento de código genético do vírus da Covid para treinar o sistema imunológico.

Alguns dos pesquisadores acharam que o adenovírus estaria ligado a coágulos raros que acontecem em algumas pessoas. Um  estudo, publicado na revista Science Advances, mostra que a parte externa do adenovírus é atraída pela proteína do fator plaquetário 4.

Publicidade

À BBC News, o professor Alan Parker, pesquisador da universidade de Cardiff disse que “o adenovírus tem uma superfície extremamente negativa, e o fator plaquetário 4 é extremamente positivo e as duas coisas se encaixam muito bem.”

Acrescentou ainda: “Conseguimos provar a ligação entre as principais armas dos adenovírus e o fator plaquetário 4. O que temos é o gatilho, mas há uma série de etapas que precisam acontecer a seguir.”

Dizem os pesquisadores que a próxima fase é a “imunidade perdida”,mas isso só será confirmado em pesquisas que ainda virão.

O corpo ataca o fator plaquetário 4 pois confunde com parte do adenovírus que está preso ao corpo. Coágulos como trombótica imune induzida por vacina, acarretaram em 73 mortes em 50 milhões de doses da AstraZeneca administradas no Reino Unido.

“Você nunca poderia ter previsto que isso teria acontecido e as chances são muito pequenas, então precisamos nos lembrar do quadro geral do número de vidas que esta vacina salvou”, disse Parker.

 “#2Nov Um grupo de cientistas do Reino Unido e dos Estados Unidos afirmou ter descoberto a razão pela qual vários pacientes desenvolveram coágulos após receberem a vacina AstraZeneca contra # COVID_19. O estudo foi publicado na revista “Science Advances”.