Após governo recusar auxílio da Argentina, Bahia pede ajuda humanitária

Costa disse que, mesmo sem ajuda federal, a Bahia reconstruirá todas as casas destruídas em parceria com os municípios, mas pondera que isso pode levar algum tempo

Após governo recusar auxílio da Argentina, Bahia Pede ajuda humanitária
“Não é possível reconstruir tudo só de uma vez. A prioridade é recolocar as pessoas nas suas casas e paulatinamente em 2022 reconstruir” (Créditos: Manu Dias/GOVBA)

O governador Rui Costa (PT), fez nesta quinta-feira (30) um apelo após o governo federal recusar ajuda humanitária oferecida pela Argentina, ele pediu por mais ajuda e apoio na recuperação dos estragos causados pelas chuvas, que já causaram a morte de 24 pessoas.

Publicidade

“Os 15 milhões de brasileiros que moram na Bahia estão esperando apoio tanto humanitário quanto aos municípios. É preciso um olhar diferenciado porque aqui moram 15 milhões de brasileiros”, afirmou o governador em entrevista ao Jornal da Manhã, da TV Bahia, ao responder a pergunta sobre o envio de verbas federais e a recusa da ajuda argentina pelo Ministério das Relações Exteriores.

Costa disse que, mesmo sem ajuda federal, a Bahia reconstruirá todas as casas destruídas em parceria com os municípios, mas pondera que isso pode levar algum tempo. Sua ideia é fazer mutirões em conjunto com os municípios.

Não é possível reconstruir tudo só de uma vez. A prioridade é recolocar as pessoas nas suas casas e paulatinamente em 2022 reconstruir. A prioridade é dar um lar. Ninguém quer morar no abrigo e viver em escolas. As pessoas querem suas casas e precisamos ter rapidez”, afirmou.