Machismo na Assembleia

Deputado diz que Isa Penna teve ‘sorte’ ao ser apalpada na Alesp

Em nota, Penna disse que entrará com representação no Ministério Público contra o parlamentar.

deputado-diz-que-isa-penna-teve-sorte-ao-ser-apalpada-na-alesp
O deputado estadual, Delegado Olim (PP-SP) (Crédito: Alesp)

O deputado estadual e membro do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo, Delegado Olim (PP), disse na quarta-feira (20) que a deputada Isa Penna (PCdoB-SP) teve “sorte” por ter sido apalpada por um colega na Casa e deverá se reeleger por causa da repercussão do caso.

Publicidade

A deputada foi vítima de assédio do deputado estadual Fernando Cury (União Brasil), que foi filmado, no plenário da Assembleia, apalpando Isa, em dezembro de 2020.

A declaração do delegado ocorreu durante entrevista a um podcast chamado ”Inteligência Ltda”. Em sua fala, Olim explicava as diferenças entre o caso de Arthur do Val, que renunciou ao cargo após ter áudios sexistas vazados, quando foi interrompido por Vilela, que afirmou: “O cara deu uma apalpada nas tetas da mulher”, disse o apresentador, em meio a risadas enquanto falava.

“Foi um dia, final de ano. Acho que ele [Cury] estava lá dentro dos gabinetes, ele bebeu. Porque ele é um cara do bem, todo mundo adora ele. Eu acho que o que ele fez ali ele também nunca mais vai esquecer na vida dele. Eu não queria estar no lugar dele, ficou ruim para ele e nunca vão esquecer. É como o próprio Arthur, ele pode fazer o que quiser, [e não vão esquecer]”, completou Olim sobre o caso.

A deputada Isa Penna informou que vai entrar com uma representação no Conselho de Ética da Alesp contra Olim. “É alarmante que alguém que tripudia da violência contra a mulher possa ter qualquer tipo de vínculo com a defesa da ética em uma Casa Legislativa”, afirmou a deputada

Publicidade

“É inaceitável a postura do deputado estadual Delegado Olim (PP). O comportamento lamentável de Olim no podcast trata com deboche a realidade vivida por milhões de mulheres todos os dias no Brasil, o que ilustra a gravidade da violência de gênero que mancha a política e a democracia brasileiras”, completou.

 

Publicidade