disputa à presidência

Desistência de Doria gera repercussões políticas

Senadora Simone Tebet emitiu nota logo após anúncio de João Doria: ‘Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida’, afirma a pré-candidata à Presidência pelo MDB.

(Crédito: Reprodução/ Redes Sociais)

A desistência do ex-governador João Doria à Presidência da República gerou repercussões no cenário política. Assim que o anúncio da desistência foi feito, a senadora  Simone Tebet, que é pré-candidata pelo MDB, divulgou uma nota em que afirma:

Publicidade

“Doria nunca foi adversário. Sempre foi aliado. Sua contribuição com a luta pela vacina jamais será esquecida. Vamos conversar e receber suas sugestões para nosso programa de governo. O Brasil é maior do que qualquer projeto individual. Vamos trabalhar para unir todo o centro democrático. Gostaria muito de ter o PSDB e o Cidadania junto conosco. Vamos aguardar a decisão das direções partidárias. Vamos continuar nossa Caminhada da Esperança. Vamos unir o país e tratar de sua reconstrução moral, institucional e política.  O povo tem pressa e precisamos semear esperança”.

Publicidade

Lideranças e partidárias foram às redes sociais para comentar o assunto. Roberto Freire, presidente do Cidadania, afirmou se tratar de “um gesto de grandeza de João Doria que fortalece a unidade da chamada 3ª via, em torno da candidata Simone Tebet”.

No Twitter, o assunto ficou entre os mais comentados e o nome do ex-governador gaúcho, Eduardo Leite, que ficou em segundo lugar nas prévias do PSDB, volta a ser cogitado para a disputa.

Orlando Silva (PCdoB) disse que “a desistência de João Doria mostra que não estamos diante de uma eleição trivial. Será a 1ª vez que o PSDB não apresenta candidato desde 1989”. Ele escreveu: “aumentam os contornos da polarização civilização x barbárie”.

Publicidade

Leia um trecho do discurso de Doria:

“Hoje, neste 23 de maio, serenamente entendo que não sou a escolha da cúpula do PSDB. Aceito esta realidade com a cabeça erguida. Sou um homem que respeita o bom senso, o diálogo e o equilíbrio. Sempre busquei e seguirei buscando o consenso, mesmo que ele seja contrário a minha vontade pessoal. O PSDB saberá tomar a melhor decisão no seu posicionamento para as eleições deste ano. Me retiro da disputa com o coração ferido, mas com a alma leve, com a sensação de dever cumprida e missão bem realizada.”

Publicidade