ANP

Duas refinarias de SP podem ter paradas prorrogadas para 2023

A posição dada pela Petrobras é um pedido da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para que fosse analisado uma postergação das paradas.

petrobras-altera-politica-de-precos-de-combustiveis
Edifício da Petrobras (Créditos: Wagner Meier/Getty Images)

A Petrobras afirmou que duas refinarias localizada em São Paulo, a Refinaria Henrique Lage e a Refinaria Presidente Bernardes, podem ser paradas de manutenção deste ano prorrogadas para 2023. Segundo a empresa, as paralisações, atualmente, estão agendadas para os meses de novembro e dezembro deste ano.

Publicidade

A posição dada pela Petrobras é um pedido da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), para que fosse analisado uma postergação das paradas, para reduzir o risco de um impacto na produção do diesel no país.

De acordo com a CNN, em resposta à ANP, a Petrobras informou que estão previstas para o segundo semestre de 2022 paradas de manutenção em outras três unidades: a Regap em Minas Gerais (agosto e setembro); a Repar, no Paraná (setembro e outubro) e a Replan, em Paulínia (SP) (agosto e setembro).

Segundo o ex-diretor da ANP, David Zylbertajn, as paras atrasam a produção das refinarias e, mesmo que apenas duas usinas tenham as paralisações adiadas, esse incremento pode ajudar o aumento da produção interna de diesel. “Por mais que essas manutenções fossem feitas fora do pico da demanda de diesel, o excesso na produção do combustível pode ser estocado e usado futuramente. Obviamente as paradas são programadas e necessárias, elas cumprem uma série de critérios técnicos”, disse o ex-diretor.

Publicidade