Governador da Bahia, Rui Costa anuncia auxílio financeiro para famílias atingidas pelas chuvas

“Estamos estudando o valor exato e aguardando que os municípios enviem uma quantidade mais precisa de casas que precisam ser reconstruídas”

Governador da Bahia, Rui Costa anuncia auxílio financeiro para famílias atingidas pelas chuvas
Até agora, são pelo menos 20 pessoas mortas e 31,4 mil desabrigadas devido ao desastre (Créditos: Paula Froes/Govba)

Rui Costa (PT), governador da Bahia, anunciou na segunda-feira (27) à noite que o governo do estado está planejando pagar um auxílio às famílias que foram afetadas pelas chuvas no sul da Bahia. Até agora, são pelo menos 20 pessoas mortas e 31,4 mil desabrigadas devido ao desastre.

Publicidade

Quando questionado por mais detalhes da ação, incluindo o valor do auxílio, Costa disse em entrevista nesta terça-feira (28) que as secretarias que são responsáveis estão aguardando mais informações precisas dos municípios sobre a quantidade de pessoas que tiveram suas casas e bens atingidos pelas enchentes.

“Estamos estudando o valor exato e aguardando que os municípios enviem uma quantidade mais precisa de casas que precisam ser reconstruídas. Não podemos fazer planos e orçamentos com estimativas apenas. Isso tem que ser um número exato”, disse.

“Agora, com a água baixando, vamos chegar a esse número. Essa ajuda visa auxiliar que a pessoa compre um fogão, uma roupa, um colchão, é essa ajuda que vamos definir ao longo da semana o valor”, complementou.

De acordo com o governo, o benefício será executado dentro do programa Estado Solidário, iniciativa que contempla medidas executadas para apoiar a população durante a pandemia da Covid-19, desde março de 2021.

Publicidade

Por enquanto, Rui Costa fez o anúncio apenas de uma linha de crédito para os comerciantes que tiveram seus estabelecimentos impactados pela enchente. Será possível contratar R$ 150 mil sem juros com 1 mês de carência e 36 meses para o pagamento. Se o valor for ultrapassado do limite, os juros aplicados seguiram taxas de CDI.

O governador voltou a repetir, em entrevista, que este é“o maior desastre natural da história da Bahia” por sua “extensão enorme” de danos.

Costa afirmou, que além de planejamento para recuperar infraestruturas de rodovias, vias públicas e casas, disse que a Secretaria da Saúde vem trabalhando para tentar minimizar uma  “tempestade perfeita” que está sendo causada pelas epidemias de Covid-19 e a Influenza junto às consequências do desastre.

Publicidade

“Em algumas cidades, houve perda de 100% de vacinas, porque os postos de saúde foram cobertos por água. Por exemplo, na cidade de Itororó, alagou os 2 primeiros andares da Prefeitura, e os postos de saúde perderam todas as vacinas”, declarou.

Com as enchentes, há algumas doenças que aparecem, como a doença das fezes dos ratos, que em enchentes se dissemina na água e faz com que muitas pessoas adoeçam. É preciso cuidado das pessoas para não ingerirem água, seja os que estão ajudando ou os que estão sendo ajudados”, disse.