TESTE DE DNA?

Justiça determina que Pelé seja submetido a teste de paternidade

Em 1992, uma mulher do Guarujá comprovou ser filha do ex-jogador depois de também ter solicitado testes de paternidade.

A vida do jogador é marcada por polêmicas semelhantes. Por anos, Pelé pagou pensão para os netos filhos de Sandra, sua ‘filha perdida’ (Créditos: Mary Turner/Getty Images for Halcyon Gallery)

O Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP) enviou nesta quinta-feira (1º) uma intimação para o ex-jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, de 81 anos, exigindo que ele seja submetido a um teste de paternidade.

Publicidade

O juiz responsável pelo caso, Renato Zanela Pandin e Cruz Gandini determinou no dia 18 de agosto que um ofício fosse expedido ao Instituto de Medicina Social e de Criminologia de São Paulo (IMESC) exigindo que o Instituto agendasse uma data e hora para a coleta do material genético na residência de Pelé para o teste de paternidade.

Pelé deve ser intimado pessoalmente para permanecer em casa na data e horário programados pelo Instituto após marcado o agendamento. Até esse momento, de acordo com o juiz, se tratará apenas de uma coleta, uma vez que a análise do material será realizada em comarcas diversas às do Guarujá.

O processo tramita em segredo na justiça para preservar as partes que pediram o exame do ex-jogador. Por esse motivo, o nome das outras pessoas envolvidas permanece em sigilo.

Publicidade

O pedido teve entrada no Fórum de Guarujá, no litoral paulista. Mesma cidade onde, em 1991, Sandra Regina Machado, entrou com uma ação na Justiça para ser reconhecida como filha de Pelé. Em 1992, um exame de DNA provou o parentesco. Sandra Regina morreu aos 42 anos de câncer e seu pai não compareceu em seu velório. Por outro lado, o ex-jogador ofereceu ajuda financeiro aos netos por parte de Sandra e pagou a faculdade dos garotos.