Moradores arrecadam roupas e alimentos para desabrigados em Petrópolis

Pontos de apoio foram abertos para receberem doações e grupos de pessoas passaram a bater de porta em porta pedindo ajuda. Uma turma de motoboys resolveu se unir em busca de ajuda

Muitos dos sobreviventes da tragédia que atingiu Petrópolis terão que recomeçar do zero. Grande parte perdeu a casa, os móveis e só escapou com a roupa do corpo. Para ajudar essas pessoas, uma rede de solidariedade se formou quase instantaneamente na cidade.

Publicidade

Pontos de apoio foram abertos para receberem doações e grupos de pessoas passaram a bater de porta em porta pedindo ajuda. Uma turma de motoboys resolveu se unir em busca de ajuda.

“A gente reuniu um grupo de motoboys e vai de bairro em bairro, pedindo um alimento, uma escova de dentes, qualquer coisa, para ajudar as pessoas neste momento difícil. Graças a Deus tá todo mundo ajudando”, disse Jean Oliveira do Vale.

Junto com o colega Matheus Soares Moreira, ele descarregava as doações na casa paroquial Fraternidade Arca de Maria, bem próxima do Morro das Oficinas, local onde foi registrada a maior parte das vítimas. “A gente decidiu ajudar porque as nossas famílias estão bem e não custa ajudar ao próximo. Podia ser eu que estivesse precisando”, disse Matheus.

A casa paroquial abriu as porta para ajudar a comunidade desde as primeiras horas da tragédia, conforme relata irmã Agnes, uma das coordenadoras do espaço. “Nosso trabalho é ajudar ao próximo, aqueles que mais necessitam neste momento. Começamos desde ontem, quando vimos o desastre. A comunidade tem ajudado muito. Precisamos de roupas, alimentos e artigos de higiene pessoal”.

Publicidade

Dentro da casa paroquial, os artigos são separados por tipo e as roupas por tamanho e sexo. O trabalho é feito pela voluntária Flávia Ferreira da Silva. “Querer ajudar ao próximo é mais importante que tudo neste momento. Até as pessoas mais humildes estão trazendo coisas para ajudar quem está mais necessitado ainda”.

A Fraternidade Arca de Maria fica na Rua Albino Siqueira, 147, bairro Alto da Serra. Outros pontos de apoio também estão recebendo doações pela cidade.

(Agência Brasil)

Publicidade