suspeito de assédio

Vereador Gabriel Monteiro é cassado no Rio

Eleito em 2020, o ex-policial militar e youtuber é investigado sob suspeita de praticar sexo com uma adolescente e de forjar vídeos para seu canal no YouTube.

vereador-gabriel-monteiro-e-cassado-no-rio
Gabriel Monteiro (Crédito: Fernando Frazão/Agência Brasil)

A Câmara do Rio de Janeiro decidiu nesta quinta-feira (18) cassar por, 48 votos a 2, o mandato do vereador Gabriel Monteiro (PL) por quebra de decoro parlamentar.

Publicidade

Na semana passada, o Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Casa já havia aprovado por unanimidade o parecer pela cassação. Para a aprovação eram necessários votos de dois terços dos vereadores (34 votos).

Eleito em 2020, o ex-policial militar e youtuber é investigado sob suspeita de praticar sexo com uma adolescente e de forjar vídeos para seu canal no YouTube. Em junho, foi denunciado por suspeita de assédio e importunação sexual contra uma ex-assessora de seu gabinete.

O relatório do Conselho de Ética classificou as condutas de Monteiro como “deploráveis”. O documento citou os vídeos, as denúncias de sexo contra menores de idade e os assédios contra ex-funcionários.

O vereador Chico Alencar (PSOL), relator do processo que investigou Gabriel Monteiro no Conselho de Ética da Câmara, foi o primeiro parlamentar a se manifestar. Alencar leu parte do relatório aprovado pelo conselho. O documento pede a cassação do mandato.

Publicidade

As galerias da Câmara estavam cheias durante a leitura do relatório. Em vários momentos, apoiadores de Monteiro vaiaram o relator do processo. O presidente da Casa precisou intervir e pedir silêncio.

“É um dever de todos os vereadores e vereadoras dessa Casa de leis dar uma resolução para esse caso. (…) Mais do que o discurso, o que vale é o voto. Esse é um momento histórico e gritos histéricos não vão interrompê-lo. A não aprovação do projeto que determina a perda do mandado do vereador Gabriel Monteiro seria uma contribuição para a perpetuação da cultura do estupro e do patriarcado presente em nosso estado”, disse Alencar.

Publicidade