PERIGO

Viagens a Marte poderão gerar problemas renais; entenda

Um estudo feito por pesquisadores em Londres revelou que as viagens espaciais podem causar danos devido à radiação

Um estudo feito por pesquisadores em Londres revelou que as viagens espaciais a Marte podem causar danos devido à radiação.
O estudo também estudou possibilidades de tratamento – Créditos: Canva

Um estudo publicado na revista Nature indica que viagens para Marte podem apresentar sérios riscos para a saúde dos astronautas, especificamente relacionados aos seus rins. A pesquisa foi conduzida por especialistas em Londres, e sugere que missões prolongadas no espaço, como um itinerário de ida e volta ao planeta vermelho, podem exigir que viajantes espaciais enfrentem tratamentos de diálise.

Publicidade

A análise feita pelos britânicos proporciona uma visão aprofundada sobre os efeitos potencialmente nocivos da radiação cósmica e dos microambientes espaciais na função renal. Embora já sejam conhecidas algumas complicações de saúde decorrentes de missões espaciais de menor duração, como cálculos renais, os recentes achados apontam para problemas ainda mais graves em missões mais longas.

A equipe de pesquisa, liderada pelo doutor Keith Siew do Tubular Centre, em Londres, estudou especialmente os impactos da Radiação Cósmica Galática (GCR) sobre a saúde renal. Experimentos realizados com ratos expostos a doses simuladas de GCR revelaram que a exposição a essa radiação por períodos comparáveis a missões para Marte causa contração dos rins dos animais em menos de um mês.

O estudo sublinha que, sem intervenções eficazes para proteger os rins, os astronautas em missões de 1 ano e meio até 2 anos e meio podem sofrer danos irreversíveis nos rins, tornando mandatória a necessidade de diálise durante ou após a viagem. A gravidade dessa possibilidade reside no fato de que danos causados pela radiação muitas vezes só se tornam visíveis quando já é tarde demais para prevenir a falência renal.

A informação é essencial principalmente para as empresas espaciais, como a SpaceX e a NASA, que planejam realizar missões para Marte entre 2030 e 2040.

Publicidade

Publicidade

O que pode ser feito para proteger os astronautas em Marte?

O coautor do estudo, Stephen Walsh, menciona o desenvolvimento de drogas como uma promessa para a proteção renal contra a radiação. Esses medicamentos, ainda em fase de pesquisa, poderiam não só beneficiar astronautas, mas também pacientes terrestres que necessitam de radioterapia, uma vez que os rins são particularmente vulneráveis a danos por radiação.

Ele ressalta que não há maneira de bloquear a radiação de chegar nos rins, mas apenas de tratá-la quando já estiver sendo absorvida pelo organismo.

Publicidade

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.