FMI projeta profunda recessão econômica para Rússia

A inflação anual na Rússia acelerou para 9,15% em fevereiro

fmi-projeta-profunda-recessao-economica-para-russia
Inflação russa é a maior em sete anos. (Crédito: Canva Fotos)

O  Fundo Monetário Internacional (FMI) avalia que as sanções econômicas impostas à Rússia provocam uma recessão econômica profunda no país. “Para resumir, temos um impacto trágico da guerra na Ucrânia. Temos uma contração importante na Rússia e vemos o impacto provável em nossas perspectivas para a economia mundial”, disse a diretora-gerente do FMI, Kristalina Georgieva, de acordo com a agência France Press. 

Publicidade

De acordo com a diretora, os russos também enfrentam uma grande desvalorização do rublo, que elevou a inflação. A inflação anual na Rússia acelerou para 9,15% em fevereiro, ante 8,73% em janeiro, a maior alta em sete anos, segundo a Reuters. 

Georgieva afirmou que será preciso rever as projeções para o crescimento do mundo por causa dos efeitos da guerra na economia global. “No próximo mês, teremos uma revisão para baixo das nossas projeções de crescimento mundial”, explicou. 

FMI aprova ajuda à Ucrânia

O Conselho do Fundo Monetário Internacional aprovou na quarta-feira (9) um financiamento emergencial de US$ 1,4 bilhão para a Ucrânia. O objetivo do pacote é fornecer apoio financeiro crítico para “mitigar os impactos econômicos da guerra”, segundo noticiou a France Press.

Entenda a invasão da Rússia à Ucrânia

O presidente Vladimir Putin ordenou uma invasão na Ucrânia no dia 24 de fevereiro. Desde então, o exército russo faz ofensivas por terra, ar e mar contra pontos estratégicos ucranianos, incluindo a capital Kiev e Kharkiv, segunda maior cidade do país. 

Militares russos também conquistam terreno no sul da Ucrânia e cercam cidades estratégicas.

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Uma das demandas da Rússia nas negociações sobre a guerra é que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na OTAN e na União Europeia. Moscou também exige que Kiev reconheça a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano.

Publicidade

Putin argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin também diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.