bolsa de valores

Ibovespa termina junho com a pior queda mensal desde março de 2020

Nesta quinta-feira, o principal índice da bolsa teve queda de 1,08%, a 98.542 pontos.

ibovespa-termina-junho-com-a-pior-queda-mensal-desde-marco-de-2020
(Crédito: Canva Foto)

O Ibovespa terminou o mês de junho com a maior queda mensal desde março de 2020, que ficou marcado pelo impacto inicial da pandemia do coronavírus no mercado financeiro global. Naquele mês, o indicador teve queda de 29,9%.

Publicidade

No fechamento desta quinta-feira, o Ibovespa teve um recuo de 1,08%, a 98.542 pontos. Com o resultado, a queda mensal em junho foi de 11,50%, o que supera o resultado de abril deste ano (-10,1%). Além disso, a bolsa passou a acumular queda de 0,13% na semana e de 5,99% no ano.

No dia anterior, o Ibovespa fechou em queda de 0,96%, a 99.622 pontos.

Tensão no mercado

Em junho, o Ibovespa teve novo pregão contaminado pelo mau humor dos mercados no exterior, em meio aos temores de recessão global, e com os agentes financeiros monitorando o andamento da PEC dos Combustíveis em Brasília.

Publicidade

No Brasil, o foco continuava sobre a tramitação da PEC no Congresso, que recentemente reacendeu temores fiscais por aumentar os gastos públicos às vésperas das eleições.