reivindicação na bolsa

Manifestantes protestam em frente à B3 contra a privatização da Eletrobras

Jair Bolsonaro, Adolfo Sachsida e Paulo Guedes estiveram na B3 para concluir a venda da empresa.

manifestantes-protestam-em-frente-a-bolsa-contra-a-privatizacao-da-eletrobras
Manifestante do MTST discursa contra a privatização da Eletrobras em frente a B3, em São Paulo (Crédito: Reprodução/Instagram/Jones Manoel)

Manifestantes contrários à privatização da Eletrobras se reuniram nesta terça-feira (14) na frente da Bolsa de Valores, a B3, em São Paulo. No local, estiveram presentes o presidente Jair Bolsonaro (PL), o ministro da Economia Paulo Guedes e o ministro de Minas e Energia Adolfo Sachsida.

Publicidade

Na semana passada, a Eletrobras fixou em R$ 42 o preço da ação em uma oferta que resultou na privatização da companhia, movimentando R$ 29,29 bilhões, segundo comunicado publicado na página da CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

Durante o evento, Sachsida afirmou que a privatização da Eletrobras é positiva pois os consumidores poderão se beneficiar com aumento da competição e com o aporte de recursos para reduzir as tarifas.

Já Guedes afirmou que a privatização vai gerar R$ 32 bilhões para modicidade tarifária, R$ 5 bilhões para o programa nuclear, R$ 25 bilhões para o caixa da União e R$ 10 bilhões para a revitalização de bacias hidrográficas. O ministro também elogiou o legado dos governos militares, que segundo ele “fizeram uma extraordinária gestão do ponto de vista de infraestrutura”, e afirmou que esse legado estava sendo perdido.

Guedes ainda disse que, com a operação, a maior empresa de energia limpa e renovável do mundo está livre para fazer os investimentos necessários para se manter competitiva. “Ela é a garantia de segurança energética do Brasil nessa nova dimensão renovável.”

Publicidade

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Jones Manoel (@jones.manoel)

Publicidade

 

Publicidade