confusão!

Empresa processa banda por usar nome de marca criada anos depois

EasyGroup exige que o Easy Life mude nome, mesmo a banda tendo sido criada anos antes da marca easyLife

easy-life
Show do Easy Life (Crédito: Reprodução/Instagram) e aeronaves da easyJet (Crédito: Reprodução/Instagram)

O Easy Life está sendo processado pelo easyGroup, conglomerado que inclui ramos específicos — como linha aérea, ônibus, hotéis e até academias. Leia comunicado da banda:

Publicidade

“Ok… Nunca imaginei que teria que fazer isso, mas não temos outra opção a não ser explicar a situação em que nos encontramos. Como alguns de vocês já descobriram, estamos sendo processados. A easyJet está nos processando por nos chamarmos Easy Life. Estão nos forçando a mudar de nome ou embarcar em uma batalha legal que nunca poderíamos custear. Trabalhamos duro para estabelecer nossa marca e tenho certeza que nunca afetamos os negócios da empresa. Embora achemos a situação toda hilária, não temos poder suficiente contra uma corporação tão grande. Não sei mais o que dizer, vamos mantê-los atualizados.”

Publicidade

“É como se o Ryan Gosling não pudesse se chamar Ryan por causa da Ryanair“, brincou internauta, comparando o nome do ator com o da companhia aérea.

A empresa argumenta que o grupo musical usou o nome de uma de suas marcas, easyLife, sem permissão: “Temos um histórico de parar ladrões que tentam roubar nossa marca e tenho certeza que vamos parar o sr. Matravers.”

Registros mostram, porém, que o Easy Life foi criado ao menos oito anos antes da marca homônima. “Quem é o ladrão de marcas aqui?”, escreveu a banda em publicação no Instagram.

Publicidade

Ao NME, o easyGroup acrescentou que “outras empresas (incluindo a easyLife) pagam royalties anuais pelo uso da marca como parte de suas estratégias de negócios” e, por isso, seria “injusto” que a banda não fizesse o mesmo.

Publicidade

Pode parecer, mas não é nada pessoal. Há cinco anos, a companhia processou a Netflix por causa da série Easy. Segundo o proprietário Stelios Haji-Ioannou, o serviço de streaming deveria ter “checado com os advogados europeus deles antes de usar” o título. Como resposta, a Netflix afirmou que o público saberia diferenciar uma série que assistem de um avião no qual voam (via The Guardian).

Grande parte dos lucros do easyGroup vem do licenciamento das mais variadas marcas que possuem, uma das razões pelas quais Haji-Ioannou é tão empenhado na busca de quaisquer nomes semelhantes ao da sua empresa, até daqueles criados antes.

Publicidade

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.