Biden afirma que Rússia ainda pode invadir a Ucrânia

A Rússia anunciou hoje (15) a retirada parcial de suas tropas da fronteira com a Ucrânia

biden-afirma-que-russia-ainda-pode-invadir-a-ucrania
O presidente Joe Biden discursa sobre a Rússia e a Ucrânia na Sala Leste da Casa Branca em 15 de fevereiro de 2022 em Washington, DC. (Crédito: Alex Wong/Getty Images)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, afirmou nesta terça-feira (15) que apesar do movimento de retirada de soldados russos da fronteira com a Ucrânia, ainda existe uma forte possibilidade de invasão russa ao território vizinho.

Publicidade

Biden voltou a ameaçar com pesadas sanções econômicas caso isso ocorra. “Os Estados Unidos estão preparados, aconteça o que acontecer. Estamos prontos para nos engajarmos na diplomacia com a Rússia e nossos aliados e parceiros para melhorar a estabilidade e a segurança na Europa como um todo. E estamos prontos para responder decisivamente a um ataque russo contra a Ucrânia, que ainda é uma grande possibilidade. Todos os eventos das últimas semanas e meses, esta tem sido a nossa abordagem e continua a ser a nossa abordagem agora”, disse Biden.

Mais cedo, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, se reuniu com o chanceler alemão, Olaf Scholz, e afirmou não querer guerra com a Ucrânia. “Queremos (uma guerra), ou não? É claro que não. Por isso, apresentamos nossas propostas para um processo de negociação”, afirmou Putin.

Os Estados Unidos e outros países da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte) enviaram reforços militares para o leste europeu e afirmam que uma invasão pode ocorrer “a qualquer momento”.

Putin criticou a rejeição dos países ocidentais a suas principais exigências, as quais “infelizmente não receberam uma resposta construtiva”.

Publicidade

Quais são as exigências russas?

  • O Kremlin pede o fim da política expansionista da OTAN
  • Os russos querem que a OTAN se comprometa a não implementar armas de ataque perto de suas fronteiras
  • A Rússia pede também a o retorno da infraestrutura da OTAN nas fronteiras para o que era em 1997, antes da entrada de países da ex-União Soviética no bloco

Tradução do post oficial de Joe Biden no Twitter: ”Desde o início desta crise, tenho sido claro e consistente: os Estados Unidos estão preparados não importa o que aconteça. Estamos prontos para que a diplomacia melhore a estabilidade e a segurança na Europa como um todo. E estamos prontos para responder de forma decisiva se a Rússia atacar a Ucrânia.”

Publicidade