Chansley é condenado por invasão ao Capitólio dos EUA

Os promotores americanos teriam pedido à justiça 56 meses de prisão

chansley-e-condenado-por-invasao-ao-capitolio-dos-eua
Jacob Chansley (Crédito: Getty Images)

Jacob Chansley foi condenado a 41 meses por invadir o Capitólio dos EUA. O extremista “viking”, mais conhecido como ““QAnon Shaman”, invadiu o Capitólio dos Estados Unidos, sede do Congresso e assumiu o ato que matou 5 pessoas. O ataque aconteceu em 6 de janeiro, enquanto ocorria uma sessão para certificar a vitória do presidente eleito Joe Biden.

Publicidade

O local foi invadido por apoiadores de Donald Trump, no momento em que a Câmara e o Senado decidiam se atacavam ou não uma objeção aos resultados de Arizona, vencido por Biden na eleição de novembro do ano passado. Senadores, deputados e Mike Pence que estavam no local, foram retirados e levados para locais mais seguros.

Jacob Chansley havia sido preso e processado por ato de violência. Os promotores americanos teriam pedido à justiça que fossem 56 meses de prisão, mas Chansley foi condenado a 41 meses. No dia da invasão, Chansley usava um cocar de chifres, uma lança na mão e o rosto pintado com a bandeira dos Estados Unidos. A ataque deixou 5 mortos.

De acordo com à CNN, Chansley falou com o juiz, Royce Lamberth sobre o impacto que a prisão teve sobre ele e a culpa que ele sente por infringir a lei. Ele disse que errou ao entrar no Capitólio em 6 de janeiro e que não é um rebelde ou terrorista doméstico, mas sim um “bom homem que infringiu a lei”. “A parte mais difícil sobre isso é saber que eu sou o culpado. Ter que olhar no espelho e saber, você realmente estragou tudo. Realmente”, disse Chansley.

“Eu estava em confinamento solitário por minha causa. Por causa da minha decisão. Eu quebrei a lei … Eu deveria fazer o que Gandhi faria e assumir a responsabilidade”, diz ele. “Não há ifs, ands ou buts sobre isso, é o que os homens de honra fazem.” Ele prometeu nunca mais ser preso. Após a audiência, seu advogado, Albert Watkins, disse que Chansley está “aceitando ser responsabilizado”.

Publicidade