China cria neve artificial para ter Olimpíadas de Inverno

222 milhões de litros de água foram utilizados no processo

china-cria-neve-artificial-para-ter-olimpiadas-de-inverno
A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim 2022 começou na noite de sexta-feira (4), após preparativos afetados pela pandemia de covid-19 e pelas críticas aos direitos humanos na China que levaram vários países a montar um boicote diplomático. (Crédito: Divulgação)

Apesar da China apresentar temperaturas extremas, como as registradas nesta quinta-feira (-21º), não há quantidade suficiente de neve para compor as pistas de esqui das Olimpíadas de Beijing.

Publicidade

Com isso, 100 geradores e 300 canhões com tecnologia europeia transformam água em flocos de neve e se encarregam da missão. No entanto, o que impressiona é a quantidade de água utilizada neste processo: 222 milhões de litros, o suficiente para encher 85 piscinas olímpicas.

A alternativa vem causando bastante polêmica, já que vai contra o discurso chinês de produzir uma edição sustentável de Jogos Olímpicos. Apesar do reaproveitamento de cinco estádios construídos para as Olimpíadas de Verão de Pequim 2008 e da redução de carbono, economizar água não foi uma das prioridades dos jogos.

Vale ressaltar que Pequim sofre com racionamento de água. A capital chinesa tem apenas 185 metros cúbicos de água per capita por ano para 21 milhões de habitantes, menos de um quinto do que é necessário de acordo com os parâmetros da ONU.

A atleta de esqui estilo livre, Sabrina Cass, comentou sobre a condição das pistas de neve artificial em entrevista ao Globo Esporte. ”Não é tão ruim não. Tipo, tá meio duro, mas eu nasci esquiando em Vermont (estado no nordeste dos Estados Unidos) lá tem muitas pedras de gelo o tempo todo então eu estou meio acostumada com os percursos já assim”, disse Sabrina.

Publicidade