Coreia do Norte confirma teste de míssil

Só neste ano, é o sétimo míssil lançado pelo país, o que levanta temores e provocações maiores

Coreia do Norte confirma teste de míssil
Evitando que o míssil pudesse sobrevoar outros países, a Coreia do Norte disse que ele foi lançado em direção às águas da costa leste do país, em um ângulo alto (Créditos: Divulgação/ Redes Sociais)

Um míssil balístico foi testado pela Coreia do Norte com um alcance intermediário e que tem a capacidade de atingir Guam, um território dos Estados Unidos no Oceano Pacífico. O país afirmou nesta segunda-feira (31) a realização do teste.

Publicidade

Só em 2022, a Coreia do Norte já lançou sete mísseis, e o de domingo (31), foi o mais significativo desde 2017, o que levanta temores de provocações maiores, como testes de mísseis nucleares que são de longo alcance que representam uma ameaça direta aos EUA.

A agência de notícias oficial da Coreia do Norte, a KCNA, afirmou que o objetivo de testar o projétil era verificar a precisão geral do Hwasong-12 e divulgou foto de uma câmera acoplada na ogiva do míssil. Evitando que o míssil pudesse sobrevoar outros países, a Coreia do Norte disse que ele foi lançado em direção às águas da costa leste do país, em um ângulo alto.

O míssil Hwasong-12 é uma arma terra-terra, com capacidade nuclear e um alcance máximo de 4,5 mil km, uma distância suficiente para atingir Guam, sede de bases militares americanas que foram importantes na Segunda Guerra Mundial.

Nos episódios de tensão, os Estados Unidos utilizaram suas bases para enviar aviões de guerra à península coreana como uma forma de demonstrar força. No ano de 2017, em agosto, no auge das animosidades com Donald Trump, o ditador Kim Jong-Un ameaçou fazer “um fogo envolvente” perto de Guam com mísseis Hwasong-12.

Publicidade

Naquele momentos, a Coreia do Norte testou outros mísseis também intercontinentais, como Hwasong-14 e Hwasong-15, que de acordo com especialistas têm a capacidade de chegar a parte continental dos EUA e pode proteger uma ogiva do calor extremo e da pressão ao reentrar na atmosfera da Terra.

O Hwasong-12 percorreu cerca de 800 km e atingiu uma altitude de 2 mil km antes de aterrissar entre a península coreana e o Japão, segundo avaliações sul-coreanas e japonesas.

Para Lee Choon Geun, especialista em mísseis e pesquisador honorário do Instituto de Política de Ciência e Tecnologia da Coreia do Sul, ele acredita que as fotos tiradas forma sim do espaço, muito provavelmente quando ele estava perto do seu ponto máximo de sua trajetória.

Publicidade

Lee ainda diz que, por mais raro que seja acoplar uma câmera em um míssil, o governo coreano estava querendo mostrar seu avanço na tecnologia para sua população e para o exterior.

Publicidade