Elon Musk desafia Putin para um combate pela Ucrânia

Após o início do conflito, Musk proveu internet para a Ucrânia por meio de satélites Starlink

elon-musk-desafia-putin-para-um-combate-pela-ucrania
Elon Musk participa da TIME Person of the Year em 13 de dezembro de 2021 em Nova York. (Crédito: Theo Wargo/Getty Images)

O bilionário Elon Musk, CEO de empresas como Tesla e SpaceX, desafiou nesta segunda-feira (14) o presidente da Rússia, Vladimir Putin, para um combate individual. Em seu perfil no Twitter, o bilionário questionou o Kremlin se a luta seria aceita.

Publicidade

“Por meio deste, desafio Vladimir Putin a um combate individual. Em jogo está a Ucrânia. Você concorda com essa luta, Putin?, declarou Musk.

Putin é ex-agente da antiga KGB, principal agência do serviço secreto soviético. Depois, comandou a FSB (Serviço Federal de Segurança), órgão que sucedeu a KGB para questões internas da Rússia. O presidente russo também é faixa preta de judô.

Já o bilionário não pratica artes marciais. O homem mais rico do mundo já disse no podcast de Joe Rogan que praticou algumas modalidades como taekwondo e karatê na infância, mas não deu continuidade aos treinamentos na vida adulta.

Publicidade

Entenda a invasão da Rússia na Ucrânia

O presidente Vladimir Putin ordenou uma invasão na Ucrânia, na quinta-feira (24). Desde então, o exército russo faz ofensivas por terra, ar e mar contra pontos estratégicos ucranianos, incluindo a capital Kiev e Kharkiv, segunda maior cidade do país.

Militares russos também conquistam terreno no sul da Ucrânia. Pelo menos uma cidade portuária, Kherson, já foi tomada por eles.

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. Uma das demandas da Rússia nas negociações sobre a guerra é que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na OTAN e na União Europeia. Moscou também exige que Kiev reconheça a independência das regiões separatistas de Donetsk e Luhansk, no leste ucraniano, e que a Crimeia faz parte da Rússia.

Publicidade

Putin argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin também diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.