Filha de 3 anos interrompe live da primeira-ministra da Nova Zelândia

A primeira-ministra da Nova Zelândia fazia um pronunciamento por meio de live no Facebook quando foi interrompida

Filha de 3 anos interrompe live da primeira-ministra da Nova Zelândia
Jacinda Arden, primeira-ministra da Nova Zelândia (Crédito: Pool/ Getty Images)

A live da primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Arden, no Facebook foi interrompida por sua filha de três anos. A chefe de governo neozelandesa estava em transmissão ao vivo para anunciar mudanças nas restrições impostas para conter a Covid-19 no país, quando Neve de três anos a chamou.

Publicidade

Não é a primeira vez que as lives de Jacinda Arden são interrompidas por incidentes. Em maio de 2020 um terremoto de magnitude 5.8 atrapalhou uma live da primeira-ministra e, depois, em outubro deste ano outro de magnitude 5.9 fez a vez de interromper a transmissão.

No novo episódio de interrupção, foi possível escutar a voz de Neve “Mamãe?”, ao que foi respondida com “Você deveria estar na cama, querida” por Jacinda, 41.

“Está na hora de dormir, querida. Vai para a cama, eu vou te ver já já”, acrescentou, pedindo desculpas aos seguidores que acompanhavam a live.

Depois de aliviar o clima com: “Bom, a hora de dormir não funcionou. Achei que seria uma boa hora para fazer uma live no Facebook, que seria bom e seguro” disse Jacinda Arden, em tom de brincadeira. “Os filhos de mais alguém levantam três, quatro vezes, depois da hora de dormir? Felizmente, minha mãe está aqui para ajudar.”

Publicidade

A primeira-ministra tentou retomar o pronunciamento em live quando foi interrompida novamente pela filha, questionando sobre a demora da mãe. A neozelandesa decidiu, então, terminar a transmissão. “Desculpa, meu amor, está demorando. Bem, peço desculpas a todos. Vou colocar Neve na cama, porque é tarde para ela. Obrigada por me acompanharem”, conclui.

Covid-19 na Nova Zelândia

O anúncio de Jacinda Arden ocorreu após novas permissões em Auckland, maior cidade da Nova Zelândia. As lojas e shoppings da cidade tiveram permissão de abrir pela primeira vez em três meses.

Bibliotecas, museus e zoológicos também foram autorizados a abrir, mas o setor hoteleiro deve permanecer fechado. Em visita a Auckland, a primeira-ministra sujeitou a abertura dos hóteis ao cumprimento das metas dos níveis de vacinação.

Publicidade

O anúncio feito pela primeira-ministra em live também adicionou que a cidade deve mudar de estratégia contra a Covid-19. Em vez de novos lockdowns, Auckland adotará um sistema de cores, em que cada região recebe uma cor de acordo com a incidência de novos casos da doença, uma espécie de semáforo. A nova medida também está condicionada aos níveis de vacinação da cidade.

Publicidade