escalada

Hezbollah lança mais de 250 mísseis contra Israel

A ação foi uma retaliação ao ataque israelense que matou um comandante de campo sênior do grupo extremista

Nesta quarta-feira (12), o Hezbollah disparou a maior quantidade de foguetes contra Israel em um único dia desde o início das hostilidades transfronteiriças há oito meses.
O Hezbollah, apoiado pelo Irã, e Israel têm trocado ataques desde o início da guerra em Gaza – Créditos: X/Reprodução

Nesta quarta-feira (12), o Hezbollah disparou a maior quantidade de foguetes contra Israel em um único dia desde o início das hostilidades transfronteiriças há oito meses. A ação foi uma retaliação ao ataque israelense que matou um comandante de campo sênior do Hezbollah.

Publicidade

O Hezbollah, apoiado pelo Irã, e Israel têm trocado ataques desde o início da guerra em Gaza, em outubro, com uma escalada crescente que aumenta as preocupações sobre um confronto maior entre os fortemente armados adversários.

O ataque israelense na vila de Jouaiyya, no sul do Líbano, na noite de terça-feira, matou três combatentes do Hezbollah e o comandante de campo sênior Taleb Abdallah, também conhecido como Abu Taleb, segundo Israel e três fontes de segurança no Líbano. Abdallah foi o comandante mais sênior do Hezbollah morto durante os oito meses de hostilidades, conforme relatado por uma das fontes.

O exército israelense confirmou a morte de Abdallah e dos outros três combatentes do Hezbollah em um ataque a um centro de comando e controle. Fontes no Líbano informaram que ele era o comandante do Hezbollah para a região central da faixa fronteiriça sul.

Resposta do Hezbollah

Na quarta-feira, o Hezbollah afirmou ter realizado pelo menos 17 operações contra Israel, incluindo oito em resposta ao que chamou de “assassinato” de Israel em Jouaiyya. Em uma dessas operações, combatentes do Hezbollah dispararam mísseis guiados contra uma fábrica militar israelense. Em outra, o grupo atacou quartéis-generais militares israelenses em Ein Zeitim e Ami’ad, além de uma estação de vigilância aérea militar israelense em Meron.

Publicidade

Uma fonte de segurança disse que o grupo disparou cerca de 250 foguetes contra Israel ao longo do dia, o maior número em um único dia neste conflito até agora. Mais de 100 foguetes foram lançados de uma vez, uma das maiores barragens do grupo desde o início das hostilidades em outubro.

Falando em uma procissão fúnebre para Abdallah nos subúrbios controlados pelo Hezbollah ao sul de Beirute, o alto funcionário do Hezbollah, Hashem Safieddine, disse que o grupo aumentaria a intensidade, força e quantidade de suas operações contra Israel em retaliação pela morte de Abdallah. “Se o inimigo está gritando e gemendo pelo que aconteceu no norte da Palestina, que se prepare para chorar e lamentar”, disse Safieddine.

Sirenes e retaliações

Sirenes soaram no norte de Israel. Jatos israelenses atingiram vários locais de lançamento no sul do Líbano na quarta-feira, após projéteis serem disparados em direção ao norte de Israel, informou o exército.

O exército israelense disse anteriormente que o Hezbollah havia disparado uma barragem de cerca de 50 lançamentos do sul do Líbano nas Colinas de Golã ocupadas por Israel. Em um segundo anúncio, Israel afirmou que aproximadamente 90 projéteis foram identificados cruzando do Líbano, alguns dos quais foram interceptados enquanto outros caíram em várias localidades no norte de Israel, causando incêndios em diversas áreas.

Publicidade

Não estava claro se as declarações israelenses referiam-se a dois lançamentos separados. O exército israelense disse que seus caças atingiram locais de lançamento do Hezbollah em duas áreas no sul do Líbano, enquanto a artilharia bombardeou uma terceira localização.

O exército israelense afirmou que não houve vítimas no lado israelense, mas os bombeiros estavam combatendo incêndios iniciados pelos ataques do Hezbollah em várias áreas.

Comandantes alvejados e consequências

Abdallah, o comandante do Hezbollah morto na terça-feira, era superior a Wissam Tawil, um comandante de alto nível do Hezbollah morto em um ataque israelense em janeiro, segundo fontes no Líbano. O grupo militante palestino Hamas chamou Abdallah de um grande líder, em uma declaração de condolências por sua morte. As fontes de segurança disseram que os quatro membros do Hezbollah provavelmente foram alvejados durante uma reunião.

Os ataques israelenses mataram cerca de 300 combatentes do Hezbollah no Líbano, mais do que em 2006, quando os lados lutaram uma grande guerra, de acordo com uma contagem da Reuters, que coloca o número de civis mortos em cerca de 80. Ataques do Líbano mataram 18 soldados israelenses e 10 civis, segundo Israel.

O exército israelense diz que matou mais de 320 membros do Hezbollah, incluindo pelo menos 100 alvejados após operativos de campo terem reunido “inteligência precisa e de alta qualidade” sobre eles.

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.