Homem com faca ameaça pessoas nas ruas de Noruega e é morto a tiros

O homem amedrontou as pessoas pelas ruas de Oslo perto das 9h desta terça-feira (9)

homem-com-faca-ameaça-pessoas-nas-ruas-de-Noruega-e-é-morto-a-tiros
Crédito: Pixabay

Um homem com uma faca e parcialmente nu ameaçou pessoas nas ruas de Oslo, capital da Noruega e foi morto a tiros pela polícia, nesta terça-feira (9). Segundo a imprensa norueguesa, o agressor estava nu da cintura para cima e corria atrás de uma pessoa, por volta das 9h com uma faca na mão. Um agente ficou ferido, ao tentar parar o homem atropelando-o, mas acabou batendo o carro entre uma floricultura e um café.

Publicidade

O agressor conseguiu abrir a porta e foram disparados diversos tiros. Ainda não se sabe se foram os policiais que abriram fogo. Levado ao hospital, o homem não resistiu ao ferimentos. De acordo com o chefe da polícia, Egil Joergen Brekke, eles inicialmente descartam a possibilidade de um ato terrorista. “Até agora não temos informações de que isso esteja relacionado ao terror.”

Outro caso parecido, foi um ataque com arco e flecha, no mês passado, também em Noruega que deixou 5 mortos e 2 feridos. Na cidade de Kongsberg, a 67 km de Oslo o assassino andou pela cidade e atirou flechas aleatórias nas pessoas. Esse caso, segundo as autoridades não é descartado de um ataque terrorista.

Segundo o jornal “Laagendalsposten” uma testemunha viu o homem fugir da polícia e uma pessoa ferida pedindo ajuda em um cruzamento. As buscas foram encerradas às 17h (de Brasília, 22h na Noruega) e áreas de Kongsberg foram isoladas.

Ainda no mês passado, na Espanha, um homem foi preso após disparos em uma universidade. Sem registros de feridos o homem efetuou disparos no campus de Lejona da Universidade do País Basco. Alguns vidros e janelas foram quebrados. Segundo a imprensa local, o sujeito seria jovem, mas não teve sua identidade revelada.

Publicidade

Na Espanha é preciso ter qualquer autorização especial para ter armas de fogo. As compras de armas são controladas no país europeu e casos como este são incomuns.

Publicidade