Revogação do mandato de López Obrador é rejeitada no México

Foram 91,9% de votos contrários à saída do presidente contra 6,5% a favor

López Obrador tem rejeitada revogação de mandato pelo México
A Constituição mexicana introduziu a questão em setembro de 2021 (Créditos: Pedro Mera/Getty Images)

O presidente do México, André Manuel López Obrador, teve sua revogação rejeitada pelos mexicanos em referendo popular que foi realizada no domingo (10). Foram 91,9% de votos contrários à saída do presidente contra 6,5% a favor. O próprio López Obrador foi quem convocou a consulta pública, para mostrar apoio popular e validar o mandato do presidente mexicano, que se encerra em 2024. Porém, independente do resultado, não conseguiu atingir o quórum suficiente para que fosse validada.

Publicidade

A Constituição mexicana introduziu a questão em setembro de 2021. Essa mudança trouxe uma possibilidade de um referendo da população sobre o presidente no meio de seu mandato de 6 anos. O Ine (Instituto Nacional Eleitoral do México) autorizou a votação depois que os apoiadores de Obrador conseguiram 2,8 milhões de assinaturas. O equivalente a 3% do eleitorado. A revogação, para ser validada exigia a participação de pelo menos 40% dos eleitores registrados, ou 37 milhões de pessoas no universo de 93 milhões de mexicanos que estejam aptos a votar.

O processo deu início às 8h (horário local, 10h de Brasília) e terminou às 18h do horário do México (22h de Brasília). De acordo com os dados do Ine, 17,5% dos eleitores mexicanos votaram no referendo. Foram pouco mais de 16,2 milhões de votos, de acordo com a apuração de 98,4% das urnas, às 8h05 da manhã (horário de Brasília) desta segunda-feira (11).

“Participamos do exercício histórico democrático que hoje está ocorrendo em todo o país. A democracia deve ser um modo de vida, um hábito dos mexicanos para que ninguém se sinta absoluto. O povo é quem manda.”

Publicidade