ONU pede passagem segura para civis na Ucrânia

Quase todos os refugiados têm saído da Ucrânia e ido em direção a países europeus, como a Polônia e a Romênia

ONU pede passagem segura para civis na Ucrânia
Refugiados que fogem da Ucrânia esperam um trem para Budapeste na estação de trem Zahony, Hungria (Crédito: Christopher Furlong/ Getty Images)

O Conselho de Segurança das Nações Unidas (ONU) fez uma nova reunião nesta segunda-feira (7) para discutir a guerra da Ucrânia e a passagem segura para civis. Durante a sessão, o chefe de ajuda humanitária da ONU, Martin Griffiths, pediu que os envolvidos no conflito permitam a passagem segura de civis que tentam sair das regiões onde há combates, segundo a agência Reuters.

Publicidade

“Isso inclui permitir a passagem segura de civis para deixar áreas de hostilidades ativas de forma voluntária, na direção que escolherem. Todos os civis, mesmo os que ficam, devem ser respeitados e protegidos”, disse Griffiths, segundo o site da CNN Internacional.

Griffiths disse na reunião que uma equipe da ONU viajou a Moscou para discutir as ações humanitárias. Ele ainda pediu um corredor seguro para o envio de suprimentos humanitários, também segundo a Reuters.

Nesta segunda-feira (7), de acordo com a agência Ansa, a Rússia anunciou que abriria seis corredores humanitários para retirada de civis. A maioria das passagens tinha como destino o próprio território russo ou Belarus, país aliado de Vladimir Putin. A proposta foi chamada de inaceitável, segundo um porta-voz do presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky. Ele disse que a opção era “inaceitável”.  

Quase todos os refugiados têm saído da Ucrânia e ido em direção a países europeus, como a Polônia e a Romênia. 

Publicidade

“À medida que o conflito na Ucrânia entra em sua segunda semana, milhares de famílias estão fugindo para suas fronteiras.”

Entenda a guerra da Ucrânia

As tropas da Rússia começaram a invadir a Ucrânia na quinta-feira (24) após ordem do presidente Vladimir Putin. O exército russo faz ofensivas por terra, ar e mar contra pontos estratégicos ucranianos, incluindo a capital Kiev e Kharkiv, segunda maior cidade do país. 

Publicidade

Militares russos também conquistam terreno no sul da Ucrânia. Pelo menos uma cidade portuária, Kherson, já foi tomada por eles. 

Um dos fatores que desencadeou o conflito foi a possibilidade da Ucrânia entrar na OTAN, aliança militar do Ocidente. O presidente russo Vladimir Putin não admite a possibilidade e exige que a Ucrânia se comprometa a nunca entrar na organização. 

O líder russo também argumenta que está realizando uma “operação especial” para proteger os russos que vivem em território ucraniano. Ao mesmo tempo, Putin diz que a Ucrânia está sob controle estrangeiro e que não merece ser um país independente.

Publicidade