Para encerrar guerra, Zelesnky sugere que pode desistir da Otan

Em um pronunciamento por vídeo, ele disse entender que a Ucrânia não tem portas abertas para entrar na aliança

Para encerrar guerra, Zelesnky sugere que pode desistir da Otan
A Otan já tinha recusado estabelecer uma zona de exclusão aérea na Ucrânia (Créditos: Ronald Wittek – Pool/Getty Images)

Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, disse que pode desistir de ingressar na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para encerrar a guerra com a Rússia. Em um pronunciamento por vídeo, ele disse entender que a Ucrânia não tem portas abertas para entrar na aliança.

Publicidade

“Se não podemos entrar por meio de portas abertas, então temos de cooperar com associações com as quais possamos, às quais nos ajudem, a nos proteger… e ter garantias separadas”, disse Zelensky.

Zelensky cita como uma das garantias de seguranças a “zona de exclusão aérea” para impedir bombardeios, a Rússia intensificou os ataques aéreos na noite de ontem, inclusive em uma infraestruturas civis na capital de Kiev.

A Otan já tinha recusado estabelecer uma zona de exclusão aérea na Ucrânia, uma medida que poderia arrastar a aliança para uma guerra direta com a Rússia. A fala de uma possível entrada da Ucrânia na Otan marca uma mudança no discurso de Zelensky. A desistência de integrar a União Europeia e a aliança militar é uma das exigências impostas pela Rússia para cessar os ataques.

Quatro dias depois a invasão russa, a Ucrânia encaminhou um pedido para integrar o bloco europeu. A fala de Zelensky também ocorre depois dos negociadores da Ucrânia afirmarem que as conversas com a Rússia pelo cessar-fogo estão “muito boas”.

Publicidade

Nesta terça-feira (15), Vassily Nebenzia, embaixador de Moscou na ONU (Organização das Nações Unidas), reafirmou que a Rússia vai interromper a invasão quando alcançar os objetivos da “operação militar especial”, incluindo a não entrada da Ucrânia na Otan e a desmilitarização do país.

Zelensky pede ajuda a Europa contra Rússia: ‘Todos somos alvos’

Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia, afirmou que a Europa estará protegendo sua própria segurança ao oferecer apoio militar para a Ucrânia. Hoje a guerra contra a Rússia completa 20 dias.

“Todos nós somos os alvos da Rússia e tudo irá contra a Europa se a Ucrânia não resistir, então eu gostaria de pedir a vocês que se ajudem nos ajudando. Vocês sabem o tipo de arma que precisamos”, disse Zelensky.

Publicidade

A Polônia, na semana passada, chegou a fornecer o envio de caças MIG-29 à Ucrânia, porém, os Estados Unidos se posicionaram contra o apoio militar. O presidente da Rússia, Vladimir Putin, já prometeu “consequências nunca vistas” a quem interferisse no confronto.

Neste domingo (13), um ataque aéreo atingiu uma área militar na região de Lviv, a cerca de 25 km da fronteira da Ucrânia com a Polônia, país membro da Otan. Para Maksym Kozytsky, chefe da administração militar regional de Lviv, o ataque é uma confirmação de que não só a Ucrânia, mas a Europa por inteira estaria sob ataque.

“Zelensky acredita que a Ucrânia não entrará na OTAN apesar da política de ‘portas abertas’. “Durante anos, ouvimos falar de portas abertas, mas entendemos que não podemos entrar”, disse Zelensky a representantes da Força Expedicionária Conjunta. Ele acrescentou que a Ucrânia precisa de “novos formatos de cooperação”.

Publicidade