Ucrânia exige investigação sobre civis mortos em Bucha

Segundo a o país ucraniano eles encontraram mais de 400 mortos na região

O ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba pediu uma investigação ao Tribunal Penal Internacional, em Haia, sobre os civis mortos em Bucha. De acordo com a CNN, em uma entrevista a uma rádio britânica, Kuleba pediu “às organizações internacionais que enviem suas missões a Bucha e outras cidades libertadas, em cooperação com as agências policiais ucranianas, para coletar todas as evidências desses crimes de guerra”.

Publicidade

No domingo (3), pelo menos 20 corpos estavam espalhados pelas ruas de Bucha, após a saída das forças russas da área. Segundo a o país ucraniano eles encontraram mais de 400 mortos na região. Líderes da União Europeia e da Otan denunciaram rapidamente as mortes dos civis, além de pedirem investigações e novas sanções.

O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov acusou Kiev de montar um cenário e disse que especialistas russos disserem que vários vídeos e imagens falsos foram compartilhados por Kiev. O chefe do Comitê de Investigação da Rússia, Alexander Bastrykin ordenou que uma investigação fosse aberta, por considerar que a Ucrânia compartilhou cenas falsas.

Conflito Rússia e Ucrânia

No dia 24 e fevereiro, o governo russo invadiu a Ucrânia e bombardeou regiões do país. Após várias ameaças, Vladimir Putin autorizou os ataques por terra, ar e mar. Um dos motivos desta invasão é a aproximação da Ucrânia com o Ocidente.

O presidente da Rússia, Vladimir Putin não aceita que a Ucrânia entre para OTAN. Além disso, Putin quer aumentar o seu poder de influência na região. A Rússia e a Ucrânia já passaram por outros conflitos. Por mais que hoje, a Ucrânia seja independente, sua relação com a Rússia não é totalmente resolvida.

Publicidade

A presidente da União Europeia, Ursula von der Leyen, conversou com o presidente ucraniano. “Falei com o presidente Volodymyr Zelensky sobre o atroz assassínio de civis em Bucha e noutros locais da Ucrânia. A UE está disposta a enviar equipas de investigação conjuntas para documentar crimes de guerra em coordenação com o Procurador-Geral ucraniano”.

*Este texto contém informações retiradas da CNN Brasil.

Publicidade