escalada no conflito

Zelensky pede para que adesão da Ucrânia na Otan seja acelerada

Vladimir Putin anexou regiões do leste ucraniano e pediu para que tropas da Ucrânia abaixassem suas armas, Zelesnky respondeu que não irá negociar enquanto Putin for presidente.

Aliança exige consenso de todos os 30 países membros para admitir um novo parceiro. (Créditos: John Moore/Getty Images)

Algumas horas depois do presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciar a anexação de regiões que estava ocupando na Ucrânia, Volodymyr Zelensky assinou um pedido para a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para pedir que a adesão de seu país à aliança militar seja antecipada.

Publicidade

Em um comunicado divulgado no site da presidência, Zelensky afirmou que a Ucrânia e a Otan estão caminhando juntas para a adesão com a crescente colaboração entre os dois lados contra a Rússia. “Sabemos que é possível“, afirmou.

O presidente da Ucrânia afirmou estar confiante devido ao que observou com a Suécia e Finlândia, países que pediram parar aderir ao bloco militar após assistirem o início da invasão em fevereiro e hoje já fazem parte dele.

Para entrar na Otan, é necessário que um país não esteja envolvido em um conflito internacional e consiga a aprovação de todos os 30 membros, mas Zelensky diz estar confiante com essa questão. “Há confiança mútua, nos ajudamos e protegemos mutuamente. Essa é a aliança“, afirmou.

O presidente ucraniano adicionou ainda que não irá negociar com a Rússia enquanto Vladimir Putin governar o país. Além disso, afirmou que a paz só será alcançada quando conseguir expulsar todos os ocupantes russos de seu território. Zelensky diz que está conduzindo o “desmantelamento da influência russa na Ucrânia, na Europa e no mundo.

Publicidade

 

 

Publicidade