último embate

Debate da Globo: troca de farpas e excesso de direito de respostas

O debate na TV Globo, o último antes das eleições de domingo (2), contou com os candidatos Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL), Lula (PT), Felipe D’Ávila (Novo), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil) e Padre Kelmon (PTB).

último debate entre candidatos à Presidência
(Crédito: Reprodução/TV Globo)

O debate na TV Globo, o último antes das eleições de domingo (2), contou com os candidatos Ciro Gomes (PDT), Jair Bolsonaro (PL), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Felipe D’Ávila (Novo), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil) e Padre Kelmon (PTB).

Publicidade

Logo no início, o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula trocaram farpas, numa guerra por direitos de respostas. Lula pediu o primeiro após ser chamado de “presidiário” e “mentiroso” pelo atual presidente. Após análise, a organização do debate concedeu. Agressividade, logo na largada.

Já o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) teve uma discussão com o ex-presidente Lula sobre os quase 14 anos de governo do PT. Ao rebater um questionamento de Ciro, Lula disse que estava achando Ciro ‘nervoso’ e, após receber críticas, em resposta, citou uma série de números da economia e a criação de programas sociais, “que você [Ciro] cansou de elogiar quando você participava do governo”, rebateu.

O embate entre Simone Tebet e Felipe D’Avila aconteceu no fim do bloco 1,  depois do pedido de resposta concedido a Lula e do bate-boca entre Soraya e Padre Kelmon. A proposta da candidata do MDB para a saúde foi apresentada aos telespectadores.

Publicidade

No segundo bloco, as perguntas foram temáticas, mantendo o formato de candidato a candidato. Simone Tebet questionou Bolsonaro sobre mudanças climáticas. Já Padre Kelmon questionou Ciro Gomes dobre educação. Ciro lembrou o sistema educacional da Colômbia, em comparação ao Brasil.

O terceiro bloco foi mais acirrado. O mediador do debate, William Bonner, precisou interromper a resposta do ex-presidente Lula para lembrar ao candidato Padre Kelmon que o debate tem regras e foram aceitas por ele, já que interrompe os adversários sem cerimônia. “O senhor instituiu uma nova regra neste debate”, criticou Bonner.

O senhor está fantasiado, nem Padre é“, afirmou  Lula. “Aprenda a respeitar e feche a boca“, disse o ex-presidente.

Publicidade


O último debate antes do primeiro turno teve um saldo do que já foi observado nas campanhas: polarização, muitas denúncias e poucas provas, ofensas e direito de resposta, que deveria ser do telespectador, que ficou acordado até tarde.

Publicidade