remanejamento

Governo de São Paulo corta R$ 98 milhões de ações da Segurança Pública

Foram retirados R$ 41 milhões da verba para o policiamento ostensivo e preventivo no estado, além de R$ 5 milhões do atendimento à saúde do policial

Em uma entrevista durante a inauguração de um Batalhão da Polícia Militar, o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, comentou o ataque sofrido por dois holandeses na rua 25 de março, no centro da capital.
O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos). (Crédito: Rafa Neddermeyer/Agência Brasil)

Em São Paulo, o governo estadual cortou R$ 98 milhões de ações da pasta da Segurança Pública do estado e remanejou o valor para o pagamento de diárias de policiais militares. A informação consta na edição de ontem (4) do Diário Oficial do Estado.

Publicidade

Em detalhamento, a publicação mostra que foram retirados R$ 41 milhões da verba para o policiamento ostensivo e preventivo no estado, além de quase R$ 7 milhões do serviço de inteligência policial, R$ 5 milhões do atendimento à saúde do policial militar, entre outros.

A verba de ampliação do Programa Olho Vivo, que é responsável pelas câmeras corporais usadas pela Polícia Militar, também sofreu cortes. Foram retirados R$ 15 milhões do orçamento de R$ 152 milhões previsto para o programa neste ano, o que significa a diminuição de cerca de 10% do valor destinado à manutenção das câmeras.

Com a queda de arrecadação, o Estado solicitou que despesas já comprometidas fossem cobertas, em detrimento de expansão de contratos“, informou a Secretaria de Segurança Pública (SSP), em nota. Por esse motivo, “houve remanejamento de recursos de custeio para despesas mais urgentes, como por exemplo, a Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar (Dejem)“.

Segundo informações do portal g1, os cortes foram alvos de crítica por parte do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que defende o aumento em investimento não só nos equipamentos, mas em todo o combate à violência.

Publicidade

Qualquer corte em recursos na área de Segurança Pública tem que ser visto com preocupação, tendo em vista que a gente tem um cenário muito complicado e muito desafiador na área de segurança, com a dinâmica das violências, que se intensificam“, explicou David Marques, coordenador do Fórum.

E acrescentou: “As câmeras têm protegido a vida dos policiais e dos cidadãos em geral, contribuindo assim com melhores resultados na área de Segurança Pública. Esse corte de anúncio de cortes no programa passa a sensação de que que o governo de São Paulo vai desidratar paulatinamente o programa“.

Publicidade

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.