fundador do Wikileaks

Lula comemora libertação de Julian Assange: “vitória da luta pela liberdade de imprensa”

Jornalista australiano enfrenta 18 acusações, incluindo espionagem, por publicar documentos militares e diplomáticos em 2010 que expuseram crimes de guerra

Lula comemora libertação de Julian Assange: "vitória da luta pela liberdade de imprensa”
Presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) – Marcelo Camargo/Agência Brasil

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) comemorou a libertação do jornalista australiano e fundador do Wikileaks Julian Assange. “O mundo está um pouco melhor e menos injusto hoje. Julian Assange está livre depois de 1.901 dias preso. Sua libertação e retorno para casa, ainda que tardiamente, representam uma vitória democrática e da luta pela liberdade de imprensa”, escreveu Lula nesta terça-feira (25) em publicação nas redes sociais.

Publicidade

O presidente já havia se manifestado sobre a situação do jornalista em outras ocasiões, classificando a prisão como “uma vergonha” e dizendo que Assange deveria ter sido premiado por revelar “segredos dos poderosos” ao invés de estar preso.

Publicidade

Entenda o caso de Julian Assange

Julian Assange é australiano e tem 52 anos. Ele ficou mundialmente conhecido por fundar um grupo de ativistas chamado WikiLeaks, em 2006. Nos anos seguintes, a organização vazou cerca de 700 mil documentos classificados dos Estados Unidos, o que causou irritação e apreensão nas autoridades norte-americanas.

Assange concordou em se declarar culpado de conspiração para obter e divulgar ilegalmente informações confidenciais, como parte de um acordo com a Justiça dos Estados Unidos. Ele enfrenta 18 acusações, incluindo espionagem, por publicar documentos militares e diplomáticos em 2010 que expuseram crimes de guerra e abusos de direitos humanos nas guerras do Afeganistão e do Iraque.

Detido no Reino Unido desde 2019, o jornalista cumpria sentença por violar as condições de sua liberdade condicional ao se refugiar na embaixada do Equador em Londres em 2012, para evitar extradição para a Suécia, onde era acusado de crimes sexuais.

Publicidade

Segundo o Wikileaks, Assange deixou a prisão de segurança máxima de Belmarsh nesta terça-feira (25) e embarcou para a Austrália, seu destino final.

Siga a gente no Google Notícias

Assine nossa newsletter

Cadastre-se para receber grátis o Menu Executivo Perfil Brasil, com todo conteúdo, análises e a cobertura mais completa.

Grátis em sua caixa de entrada. Pode cancelar quando quiser.