intolerância religiosa?

Michelle Bolsonaro fala sobre Lula e religiões africanas no Instagram: ‘Isso pode, né?’

No último domingo (7), a primeira-dama afirmou que, antes do seu marido ocupar o cargo de presidente, o Planalto era um espaço “consagrado a demônios”.

michelle-bolsonaro-ataca-lula-e-religioes-africanas-no-instagram-isso-pode-ne
Michelle Bolsonaro (Créditos: Andressa Anholete/ Getty Images)

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, voltou a usar as redes sociais para falar sobre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à Presidência e principal adversário de Jair Bolsonaro (PL) nas urnas. Em um story no Instagram, a primeira-dama deu sua opinião sobre as religiões de matrizes africanas.

Publicidade
Na terça-feira (9), a mulher de Jair Bolsonaro (PL) compartilhou um vídeo onde Lula recebe um banho de pipoca de uma religiosa. As imagens foram gravadas em Salvador, na Bahia. “Isso pode, né! Eu falar de Deus, não”, escreveu Michelle.

A postagem original carregava o seguinte texto: “Lula já entregou a sua alma para vencer essa eleição. Não lutamos contra a carne e nem o sangue, mas contra os principados e potestades das trevas. O cristão tem que ter a coragem de falar de política hoje para não ser proibido de falar de Jesus amanhã.”

Publicidade
No último domingo (7), durante visita em Belo Horizonte, a primeira-dama afirmou que, antes do seu marido ocupar o cargo de presidente, o Palácio do Planalto era um espaço “consagrado a demônios”.

Conta banida

Uma conta ligada a Michelle Bolsonaro foi suspensa pelo Twitter, nesta terça-feira (09), após a primeira-dama ter divulgado, no Instagram, vídeo que mostra o ex-presidente Lula durante ritual da umbanda no ano passado, em Salvador.

O conteúdo foi replicado em um tuíte, na página alimentada por um suposto fã da primeira-dama, mas que dava a entender ser de titularidade da esposa de Bolsonaro, fato que levou à penalidade.

Na legenda, a conta que usa o nome da mulher do presidente Bolsonaro registrou: “Isso, pode, né? Eu falar de Deus, não”. O conteúdo original foi deletado.

Publicidade