CPI DO MEC

Pacheco confirma três novas CPIs após as eleições

Uma dessas comissões investigará o MEC, enquanto as outras duas serão sobre obras escolares inacabadas e o narcotráfico.

Pacheco confirma três novas CPIs após as eleições
Rodrigo Pacheco, presidente do Senado (Crédito: Wilson Dias/Agência Brasil)

Rodrigo Pacheco (PSD-MG), presidente do Senado, afirmou nesta terça-feira (5) que irá abrir caminho para a criação de três novas comissões parlamentares de inquérito (CPIs). Segundo ele, os líderes partidários querem que as comissões sejam colocadas em prática só depois das eleições. 

Publicidade

Uma dessas CPIs investigará o MEC, enquanto as outras duas serão sobre obras escolares inacabadas e o narcotráfico. O Senado, integralmente, reconhece a importância das CPIs para investigar ilícitos no MEC, desmatamento ilegal na Amazônia, crime organizado e narcotráfico. Os requerimentos serão lidos em plenário por dever constitucional e questões procedimentais serão decididas“, escreveu Pacheco em uma rede social.

“A ampla maioria dos líderes entende que a instalação de todas elas deve acontecer após o período eleitoral, permitindo-se a participação de todos os senadores e evitando-se a contaminação das investigações pelo processo eleitoral”, concluiu o presidente do Senado.

Pacheco anunciou sua decisão após reunião com líderes partidários. Com isso, a criação das novas CPIs acaba com o impasse criado pela oposição que tinha assinaturas suficientes para investigar as denúncias de corrupção de influência de pastores que atuavam no Ministério da Educação.  

CPI do MEC

Publicidade

O governo está tentando convencer líderes partidários a adiar o início da CPI do MEC, com o intuito de evitar desgaste durante as eleições. Como forma de estratégia, estão prolongando a indicação de integrantes da comissão. No entanto, os senadores governistas estão pressionando Pacheco para que a criação do colegiado só seja permitida após o “esvaziamento” de uma lista de pedidos anteriores. 

 

Publicidade