ataque às urnas

YouTube retira do ar live de Bolsonaro com embaixadores

No encontro com os embaixadores, Bolsonaro afirmou que deseja “aprimorar os padrões de transparência” das eleições e criticou as urnas eletrônicas, sem apresentar provas.

youtube-retira-do-ar-live-de-bolsonaro-com-embaixadores
Jair Bolsonaro (Créditos: Mateus Bonomi/Getty Images)

O YouTube informou nesta quarta-feira (10) que retirou do ar a live de 18 de julho do evento que reuniu o presidente Jair Bolsonaro (PL) e embaixadores. Além disso, também foram derrubados vídeos em que o chefe do Executivo questionava as circunstâncias da facada que sofreu em 2018.

Publicidade

“Nossa política de discurso de ódio proíbe conteúdo que negue, banalize ou minimize eventos históricos violentos, incluindo o esfaqueamento de Jair Bolsonaro. O discurso de ódio não é permitido no YouTube, e removeremos material sobre o esfaqueamento de Jair Bolsonaro que viole esta política se não fornecer contexto educacional, documental, científico ou artístico no vídeo ou áudio”, afirmou a empresa.

“A política de integridade eleitoral do YouTube proíbe conteúdo com informações falsas sobre fraude generalizada, erros ou problemas técnicos que supostamente tenham alterado o resultado de eleições anteriores, após os resultados já terem sido oficialmente confirmados. Essa diretriz agora também se aplica às eleições presidenciais brasileiras de 2014, além do pleito de 2018”, complementa a nota.

No encontro com os embaixadores, o presidente afirmou que deseja “aprimorar os padrões de transparência” das eleições e criticou as urnas eletrônicas, sem apresentar provas.

Em 19 de julho, a plataforma também havia retirado um vídeo do canal do presidente Bolsonaro em que ele falava sobre urnas eletrônicas. O vídeo é uma live transmitida em 29 de julho de 2021 em que o presidente questionava a segurança do sistema eleitoral, sem apresentar provas.

Publicidade

Publicidade