55% dos brasileiros não querem uma arma de fogo em casa

É o que diz a pesquisa feita, com recursos próprios, pelo grupo Poder360 Jornalismo, na qual foram realizadas 3.000 entrevistas em 283 municípios de todo o país.

55% dos brasileiros não querem uma arma de fogo em casa
O atual presidente do Brasil é simpatizante do uso de armas de fogo (Crédito: Bruna Prado/Getty Images)

Uma pesquisa realizada pelo PoderData constatou que 55% dos brasileiros não querem armas de fogo em casa. Outros 32% gostariam de poder usar armas para defesa pessoal. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Publicidade

É o que diz a pesquisa feita, com recursos próprios, pelo grupo Poder360 Jornalismo, na qual foram realizadas 3.000 entrevistas em 283 municípios de todo o país. Os dados foram coletados, por telefone, num período de dois dias, entre 24 e 26 de abril de 2022.

Dentre os entrevistados, 10% disseram ter pelo menos uma arma de fogo em casa, enquanto 4% das pessoas ouvidas não souberam opinar.

*Por conta de alguns arredondamentos, a soma de alguns resultados pode não ser exatamente 100.

Publicidade

A pesquisa também aponta recortes de gênero, renda e escolaridade:

  • Gênero: 60% das mulheres não desejam ter armas em casa; já 35% dos homens querem.
  • Renda: 62% das pessoas que ganham de 2 a 5 salários mínimos não querem uma arma; 19% dos que recebem mais de 5 salários já têm pelo menos uma arma em casa.
  • Escolaridade: 63% dos entrevistados com ensino fundamental não desejam o equipamento; 15% das pessoas com ensino superior já têm.

Outro número interessante da pesquisa PoderData está na relação de idade entre entrevistados. Os mais jovens (16 anos ou mais) são os que mais rejeitam a ideia do armamento. 67% destes jovens dizem não querer adquirir uma arma de fogo.

Armas de Fogo x Aprovação de Bolsonaro

Entre os entrevistados que encaram o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) como “bom” ou “ótimo”, a taxa dos que já têm uma arma é de 19%. Enquanto de todos os que avaliam o governo como “péssimo” ou “ruim”, 72% não desejam o equipamento.

Publicidade

 

 

 

Publicidade