Bolsonaro decide dar reajuste de 5% para servidores

O governo terá que fazer cortes em outras áreas para encaixar a despesa no teto de gastos

presidente-diz-que-deve-ter-sido-unico-lider-contrario-ao-isolamento
O presidente do Brasil, Jair Bolsonaro (Crédito: Andressa Anholete/Getty Images)

O governo federal anunciou nesta quarta-feira (13) um reajuste linear de 5% a todos os servidores do Executivo. A medida é uma estratégia eleitoral de Jair Bolsonaro (PL), que busca a reeleição em 2022.

Publicidade

A ideia é que a correção seja aplicada sobre a folha de salários do mês de junho, cujos pagamentos começam a cair na conta dos servidores em 1º de julho.

Vale ressaltar que os 5% não recompõem as perdas inflacionárias. Em 12 meses, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que mede o IPCA (Índice de Preço do Consumidor Amplo), a inflação acumulada é de 11,3%.

O reajuste irá custar cerca de R$ 6,5 bilhões aos cofres públicos. Entretanto, como o governo tem somente R$ 1,7 bilhão no orçamento deste ano para essa finalidade, terá de fazer cortes em outras áreas a fim de conseguir encaixar a despesa na regra do teto de gastos públicos.

Segundo interlocutores do Planalto, a intenção inicial de Bolsonaro era reajustar o valor somente a servidores da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e de agentes penitenciários. Contudo, o anúncio dessas possíveis medidas no inicio do ano provocou protestos de diversas categorias de servidores, que fizeram pressão convocando paralisações.

Publicidade

Publicidade

 

 

 

Publicidade