Troca no Planalto

Braga Netto deixa cargo para dar lugar a punido por usar avião da FAB

Quem assume o controle da assessoria é Vicente Santini, ex-secretário Nacional de Justiça e homem forte do ex-ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni (PL).

Braga Netto deixa cargo para dar lugar a punido por usar avião da FAB
Vicente Santini (foto) é homem de confiança do governo Bolsonaro (Crédito: Rosinei Coutinho/SCO/STF)

Nesta sexta-feira (1°), o Palácio do Planalto oficializou a exoneração do general Walter de Souza Braga Netto (PL), que atuava como assessor especial da Presidência da República. Braga Netto deixou o cargo pois é cotado para ser vice na chapa de reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Publicidade

Quem assume o controle da assessoria é Vicente Santini, ex-secretário Nacional de Justiça e homem forte do ex-ministro do Trabalho e Previdência, Onyx Lorenzoni (PL). O servidor ficou conhecido nacionalmente após ser demitido por utilizar um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) sem autorização, quando era secretário-executivo da Casa Civil.

Segundo os registros do Diário Oficial da União, outros assessores de confiança de Jair Bolsonaro também foram substituídos para concorrerem na eleição de 2022. Alguns destes assessores são ligados ao chamado “gabinete do ódio”. São eles: Mosart Aragão, Max Guilherme e Tércio Arnaud Tomaz.

Segundo a legislação eleitoral, os servidores públicos que desejam se candidatar precisam desocupar seus cargos, no máximo, a três meses antes das eleições. Este prazo terminará amanhã, dia 2 de julho.

Vicente Santini, que ocupará a vaga de Braga Netto como assessor especial da Presidência, também é próximo dos filhos de Jair Bolsonaro e estava à frente da secretaria Nacional de Justiça desde agosto de 2021.

Publicidade